Clericalismo e a perdição

    Disse o Papa Francisco: “O clericalismo é um mal que afasta o povo da Igreja. O espírito do clericalismo é um mal presente também hoje na Igreja e a vítima é o povo, que se sente descartado, abusado. Os clérigos se sentem superiores, se afastam das pessoas”, não têm tempo para escutar os pobres, os que sofrem, os presos, os doentes”. (Missa celebrada na capela da Casa Santa Marta, 13/12/2016).
    Não podemos negar omitir e nem falsificar a ortodoxia do Santo Evangelho de Cristo. É verdade absoluta que a maior e a mais poderosa mensagem libertadora é a de Jesus Cristo! Quando ela é fraudada a catástrofe é avassaladora! Daí, cismas, escândalos, perseguição, poder ganancioso pelo dinheiro, a radical falta de amor e morte aos inimigos. O anti-evangelho, ou seja, a traição da Boa Nova do Reino de Deus é a causa de muitas mazelas na sociedade. Os pregadores da teologia da prosperidade, as seitas, a sedução do clericalismo, os clérigos idolátricos mediáticos e a espetacularização da religião de sucesso têm empobrecido o povo em todos os sentidos. A sedução de ser ídolo lava o falso eclesiástico a praticar os dois atos mais abomináveis por Deus: a hipocrisia e a idolatria! O clericalismo é o grande teatro do engano religioso. O sistema clerical com sua pompa, com a síndrome de Hércules, com a ostentação do poder, a luxúria palaciana e a manipulação da massa é a máquina da desigualdade social, da politicagem, das contendas, das guerras e da negação do mandamento de Jesus Cristo. A massa foi por demais escravizadas, mesmo pobres faz banquetes para seus senhores líderes religiosos. Os líderes abusam do povo porque sabe que essa gente não tem como se libertar. A massa padece de forma mental, emocional, medo, falta conhecimento, pobreza e deficiência do sistema que oprime e mata. No entanto, nem tudo está perdido, ainda há a resistência dos verdadeiros profetas do autêntico Evangelho de Cristo. É impossível calar a denúncia da verdade e ninguém é surdo de ouvir a retornar a doutrina de Jesus de Nazaré. Voltar às fontes para ganhar a gloriosa vida eterna!
    Antes o Céu do que o Inferno
    A Elite Dominante Religiosa tem a seu favor o povo como massa de manobra: a natureza religiosa do ser humano, o medo da morte, do além, do que ainda não foi explicado pela ciência, a boçalidade e o Estado.  O Estado ganha do sistema religiosa o condicionamento dos féis, ou seja, amainar o instinto violento, controlar a massa para não protestar e não derrubar o governo opressor. O sistema religioso ganha do Estado muitos benefícios, principalmente a liberdade para agigantar o império do capitalismo sagrado. A Elite Dominante Religiosa tem horror à resistência da denúncia do profeta de Deus. Faz de tudo para calar a voz profética como: desqualificá-lo, desconstruir a sua denúncia, desmoralizá-lo e assassinar moral e fisicamente o homem de Deus. Mesmo o sistema religioso tenha a seu favor os poderes do mundo, não consegui vencer o poder da verdade e nem aniquilar a denúncia de corrupção que o mensageiro do verdadeiro Evangelho faz contra a Elite Dominante do Capitalismo Sagrado. A honestidade de servir a Boa Nova de salvação não teme a indústria do clericalismo de perdição. Antes a dignidade humana  do que o falso moralismo religioso. Antes a honra do que os aplausos do mundo. Antes ser cristão do que a fama do  clericalismo e antes o Céu do que o inferno!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    catorze − 5 =