Amar a palavra de Deus

    O Senhor Deus entrega a mensagem ao profeta Ezequiel: “Come o rolo que aqui está, e, em seguida, vai falar à casa de Israel” (Ez 3,1).
    Antes que possamos proclamar a santa Palavra de Deus com muita força e alegria, devemos ouvir, aceitar e digerir a Sua Palavra tão completamente até ao ponto dela se tornar parte de nós. Devemos comer o rolo da Palavra de Deus (Ez 3,2; Ap 10,9). Então, vamos tornar letras “escrita não com tinta, mas com o Espírito de Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, em vossos corações” (2Cor 3,3). Ao nos tornarmos tabernáculos ambulantes após recebermos a Sagrada Comunhão, nós podemos nos tornar Bíblias ambulantes, quando comermos o livro da Palavra de Deus. E, como já foi dito muitas vezes, nós seremos as únicas Bíblias que muitas pessoas poderão ler. Transformamo-nos em Bíblias ambulantes ao:
    1)    Ouvir a Palavra de Deus e praticá-la (Mt 7,24; Tg 1,22),
    2)    Humildemente acolhermos “a palavra que criou raízes” em nós (Tg 1,21),
    3)    Meditando sobre a lei de Deus (a Sua Palavra) dia e noite (Sl 1,2),
    4)    Recitando a Palavra de Deus “de dia e de noite” (Js 1,8).
    5)    Compartilhar, pregar a Palavra de Deus (Lc 8,16; Mc 16,15), e
    6)    Estudar sistematicamente a Sagrada Escritura (Mt 22,29; Jo 5,39).
    A Constituição Dogmática do Concílio Vaticano II, na revelação divina, proclama: “Todo o clero deve agarrar-se a Sagrada Escritura através da leitura sagrada diligente e de cuidadoso estudo, especialmente os sacerdotes de Cristo e outros, tais como os diáconos e os catequistas que são legitimamente ativos no ministério da Palavra” (25), Isto também pode ser aplicado a todos nós. Portanto, coma o rolo, devore a Palavra de Deus, torne-a alegria e a felicidade do seu coração (Jr 15,16). Em Jesus, o Verbo, a Palavra se fez carne (Jo 1,14). Em você a carne  tornar-se a Palavra, ou seja, a Boa Nova de salvação. Você é o evangelho de Cristo que muitos vão encontrar o caminho da vida lendo e vendo o seu testemunho!
    O famoso diplomata e escritor francês Paul Claudel (1868-1995), escreveu: “Não vamos ler a Sagrada Escritura com intenções críticas ou com aquela curiosidade tola que leva apenas à vaidade; vamos sim lê-la com a paixão de um coração faminto. É-nos dito que há vida e que há luz – então por que não nos esforçamos para provar seus sabores um pouco?”.
    Meditar abissalmente:
    Meu Pai, que eu possa amar a Tua Palavra mais do que todo dinheiro, todos os prazeres, toda prata, todo ouro e  toda vaidade (Sl 119,72). Jesus disse-lhe: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo 14,23).

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    dez + dezoito =