Suicídio de pastores e líderes

O suicídio de pastores, líderes e filhos de líderes cresce e preocupa, tendo sido até batizado de “onda de suicídios”.

O que está acontecendo com os que estão na função de cuidado, mas não conseguem administrar suas próprias demandas? Por que pessoas que já ajudaram a tantos, desistem da própria vida? De acordo com o Instituto Schaeffer, “70% dos pastores lutam constantemente contra a depressão, 71% se dizem esgotados, 80% acreditam que o ministério pastoral afetou negativamente suas famílias e 70% dizem não ter um amigo próximo”.

A causa mais comum noticiada para o suicídio de pastores e líderes, é a depressão associada a esgotamento físico e emocional, traições ministeriais, baixos salários e isolamento por falta de amigos.

Sim, pastores têm poucos amigos, e às vezes nenhum. Boa parte está cansada, desanimada, chateada com a igreja e com a liderança. Muitos possuem dificuldades no cuidado com a família e as finanças de alguns estão desequilibradas, diz Marcos Quaresma que é psicólogo em formação, mestre em aconselhamento familiar, pós-graduado em psicopedagogia e missionário da Sepal (1).

Suicídio de padres

O pároco da igreja de São Bartolomeu, em Corumbá (MS), parecia triste. Escreveu frases soltas na legenda, como “Dei o meu melhor” e “Me ilumine, Senhor”.

O que parecia ser um desabafo se tornou um bilhete de despedida. Dois dias depois, o corpo do sacerdote foi encontrado, enforcado, dentro de casa.

O suicídio do padre Rosalino não foi um caso isolado. Oito dias antes, o padre Ligivaldo dos Santos, da paróquia Senhor da Paz, em Salvador (BA), já tinha colocado ponto final em sua história. Aos 37 anos, atirou-se de um viaduto.

Doze dias depois, outro caso. Pela terceira vez em menos de 15 dias, um sacerdote encerrava a própria vida. Renildo Andrade Maia, de 31 anos, era pároco da igreja de Jesus Operário, em Contagem (MG).

“A vida religiosa não dá superpoderes aos padres. Pelo contrário. Eles são tão falíveis quanto qualquer um de nós”, diz o psicólogo Ênio Pinto, autor do livro Os Padres em Psicoterapia (editora Ideias e Letras).

O eventual comportamento suicida de sacerdotes intriga clérigos e terapeutas. “O grau de exigência da Igreja é muito grande”, afirma o psicólogo William Pereira, autor do livro Sofrimento Psíquico dos Presbíteros (editora Vozes).

Pesquisa de 2008 da Isma Brasil, organização de pesquisa e tratamento do estresse, apontou que a vida sacerdotal é uma das profissões mais estressantes.

Naquele ano, 448 entre 1,6 mil padres e freiras entrevistados (28%) se sentiam “emocionalmente exaustos”. O percentual de clérigos nessa situação era superior ao de policiais (26%), executivos (20%) e motoristas de ônibus (15%).

A psicóloga Ana Maria Rossi, que coordenou o estudo, afirma que padres diocesanos, que trabalham em paróquias, estão mais propensos a sofrer de estresse do que monges e frades que vivem reclusos. “Um dos fatores mais estressantes da vida religiosa é a falta de privacidade”, diz (2).

Conclusão

Entre o ano de 2017 a 2018, tivemos morte suicida de 17 padres no Brasil. A sequência de suicídios de padres católicos chama nossa atenção pelos vários motivos que podem tê-los levado a tirar a vida.

A falta de amigos, a falta do fator artístico, a falta de lazer, a perda de motivação pastoral, a perda da espiritualidade, a falta de fraternidade presbiteral, a falta de educação alimentar, a falta de exercícios físicos e a falta da busca de ajuda de um profissional da saúde mental são possíveis fatores que podem levar os padres e pastores ao suicídio.

A posse da qualidade de vida, ou seja, a saúde física e psicológica são o nosso maior bem para o desenvolvimento da nossa felicidade e de nossas atividades. Essa posse se encontra de forma eficaz na terapia.

Dr. Inácio José do Vale

Psicanalista Clínico, PhD

Professor de Pós-Graduação na Faculdade Norte do Paraná

Trabalha clinicando na Comunidade de Ação Pastoral – CAP

Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea/RJ.

Autor do livro: Terapia Psicanalítica: Demolindo a Ansiedade, a Depressão e a Posse da Saúde Física e Psicológica

 

Fontes:

(1) https://www.ultimato.com.br/conteudo/suicidio-de-pastores-e-lideres-uma-reflexao-necessaria?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Newsletter-Ultimas-484

(2) https://www.bbc.com/portuguese/brasil-39740596

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × cinco =