Somos templos de Deus

    Celebramos neste final de semana, o 3º domingo do tempo quaresmal e com isso chegamos praticamente à metade desse tempo. Um tempo no qual somos chamados a fazer nosso retiro espiritual, entregar a Deus os nossos pecados e trilhar um caminho de conversão. Somos convidados a ir ao deserto com Jesus e a seu exemplo vencermos as tentações. Somos impulsionados a não sermos mais “escravos do pecado”, mas “livres” em Deus.

    Se ainda não realizamos a nossa confissão individual ainda é o momento para realizarmos, é claro que tomando os devidos cuidados em relação à pandemia da Covid-19, conforme orientamos em nossa Arquidiocese. Aqueles que são do grupo de risco e no momento estão impossibilitados de ir à Igreja, aguardem o devido momento, mas aqueles que não são impossibilitados procurem se reconciliar com Deus e fazer o caminho da conversão e poder chegar à Páscoa com o coração mais purificado.

    Que possamos neste domingo renovar o nosso caminho quaresmal e encher o nosso coração de esperança, para que assim como o povo de Deus, possamos adentrar à terra prometida, e nos encher de fé, na esperança de alcançarmos a vida eterna. O Senhor é fiel às suas promessas e garante a recompensa eterna para aqueles que lhes são fiéis.

    Na primeira leitura (Ex 20,1-17), Deus faz aliança com o povo de Israel, por meio das tábuas da Lei e Deus esperava que o povo fosse fiel a essas leis, que eles a observassem. A aliança que Deus faz com a humanidade é como um “contrato” de casamento, onde se espera que os cônjuges sejam fiéis um ao outro. Deus permanece fiel, pois não pode mudar a sua natureza, mas a humanidade devido à concupiscência da carne acaba se desviando da sua lei e sendo infiel.

    Deus que é bondade e misericórdia, conduz esse povo à terra prometida e permanece fiel à aliança feita, Ele não desiste do povo. Da mesma forma, apesar de nossos pecados e por vezes sermos “infiéis” a aliança feita com ele, Ele não desiste de nós e está sempre pronto a nos perdoar e nos amar. Ela espera que nós sejamos fiéis a Ele e obedientes aos seus mandamentos.

    O Salmo Responsorial 18(19), o salmista exalta a Lei de Deus, dizendo que ela é perfeita e agradável aos nossos olhos. Quem trilhar o caminho da Lei de Deus, alcançará a vida eterna.

    Na segunda leitura (1Cor 1,22-25), o apóstolo Paulo nos diz que a sabedoria vem da cruz, pois o ato de Cristo se entregar nela por todos nós, é um gesto da “sabedoria de Deus”. Pois aquilo que é dito insensatez de Deus, é mais sábio que os homens e o que é dito fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.

    No Evangelho (Jo 2,13-25), Jesus entra no Templo e vê que o templo de Deus mais parecia um comércio do que uma casa de oração. Ele expulsa todos os vendedores e comerciantes e diz que aquele local é para rezar. O zelo pela casa do Senhor deve nos consumir. E que as pessoas sintam vontade de ir aos nossos templos, Casa de Oração, para rezar e buscar a Deus.

    Os judeus ainda indagam Jesus e perguntam a Ele porque Ele estava agindo daquela maneira e Jesus responde: “Destruí este Templo, e em três dias o levantarei” (Jo 2,19). Os Judeus caçoam de Jesus e dizem que quarenta e seis anos foram precisos para construir aquele templo, como que Ele o reergueria em três dias. Mas, Jesus falava a respeito do templo do seu corpo. Que em três dias Ele morreria e ressuscitaria para a vida eterna.

    Cuidemos do templo do nosso corpo, não o entreguemos ao inimigo e não deixemos que o manchem, guardemos o nosso corpo sadio e livre das paixões desordenadas até a vida eterna. Preservemos o nosso corpo e o corpo dos nossos semelhantes de todo o mal.

    O templo verdadeiro do Senhor é a casa da liberdade e da vida. Jesus, nos ensina hoje, que o verdadeiro templo é Ele mesmo e, também, cada ser humano, que faz da sua vida um templo vivo do Espírito Santo. Pelo batismo, tornamo-nos membros do corpo vivo da Igreja que é Cristo Ressuscitado. Por isso testemunhemos, com a nossa vida, o amor incondicional de Cristo pela humanidade e pelos homens e mulheres de boa vontade.

    A Quaresma é o tempo apropriado para a preparação para os catecúmenos serem batizados e o tempo santo de preparação para os que já foram batizado fazerem a renovação das promessas batismais na Vigília Pascal. Deus nos deu a vida, no batismo recebemos o Espírito Santo e devemos viver a nossa vida segundo esse mesmo espírito divino, livrando-nos do pecado e louvando e bendizendo a Deus. Continuemos com alegria a nossa caminhada quaresmal, e que possamos passada a Sexta-Feira Santa, chegarmos juntos com Jesus até a vida eterna. Amém.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    um × quatro =