Os Pais na Amoris Laetitia

    A formação humana inicia com os pais, pelo amor recíproco entre o homem e a mulher, iniciando uma nova vida. Os filhos receberão todos os afetos e primeiras informações fundamentais para toda a vida, portanto, eis a grande importância dos pais, que começa solenemente no sacramento do matrimônio, que é o ápice do amor conjugal, e nele se recebe o dever da formação – educação dos filhos, educar na fé e para a fé cristã.

    Com o Dia dos Pais, no segundo domingo de agosto, inicia-se a Semana Nacional da Família. O tema será Alegria do amor na família”, dentro das celebrações do Ano “Família Amoris Laetitia, iniciado no dia de São José (19 de março), convocado com o objetivo de marcar os cinco anos da exortação apostólica do Papa Francisco, fruto de dois sínodos sobre a família.

    O subsídio Hora da Família completa, em 2021, 25 anos de publicação. Em 1996, quando o Brasil se preparava para receber o Papa São João Paulo II, por ocasião do II Encontro Mundial das Famílias, marcado para acontecer no Rio de Janeiro no ano seguinte, o então bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) dom Rafael Llano Cifuentes preparou um material para ajudar as famílias na preparação para o encontro. Assim nasceu esse subsídio. A Hora da Família é um excelente subsídio em favor da evangelização da família.

     O Santo Padre ressaltou que “matrimônio é, em primeiro lugar, uma «íntima comunidade da vida e do amor conjugal». (…) Esta união está ordenada para a geração «por sua própria natureza». O bebê que chega «não vem de fora juntar-se ao amor mútuo dos esposos; surge no próprio coração deste dom mútuo, do qual é fruto e complemento». Não aparece como o final dum processo, mas está presente desde o início do amor como uma característica essencial que não pode ser negada sem mutilar o próprio amor”. (Último acesso em 26 de julho de 2021, em https://www.vatican.va/content/francesco/pt/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20160319_amoris-laetitia.html.

    Comemoramos o Dia dos Pais no segundo domingo de agosto, quando a Igreja Católica no Brasil inicia, também, a Semana da Família, para relembrar dessa vocação, e da importância dos pais na formação dos filhos, futuro da humanidade.

    A vocação dos homens que se fazem pais tem a sua origem na paternidade do próprio Deus, sabendo, inclusive, que se aprende mais sobre família e sobre as relações entre as pessoas olhando para o alto, para a Santíssima Trindade. Paternidade, filiação, fraternidade, criatividade, todas as desejáveis características das pessoas podem encontrar no próprio Deus sua fonte. Convido todos os pais a abrir o coração e redescobrir sua vocação e sua missão na família e na sociedade. Neste ano de São José é uma boa ocasião para firmar ainda mais a vocação à paternidade de cuidar dos filhos de Deus. Nestes tempos difíceis peçamos a Deus para que a abertura à vida esteja sempre presente na vocação matrimonial.

    Nesta linda vocação de pais, o fundamento está no amor, amor este de ser pai e mãe, como aponta o Papa Francisco em Amoris Laetitia: “Toda criança tem direito a receber o amor de uma mãe e de um pai, ambos necessários para o seu amadurecimento íntegro e harmonioso. Como disseram os bispos da Austrália, ambos «contribuem, cada um à sua maneira, para o crescimento duma criança. Respeitar a dignidade da criança significa afirmar a sua necessidade e o seu direito natural a ter uma mãe e um pai». Não se trata apenas do amor do pai e da mãe separadamente, mas também do amor entre eles, captado como fonte da própria existência, como ninho acolhedor e como fundamento da família”. (último acesso em 26 de julho de 2021, em https://www.vatican.va/content/francesco/pt/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20160319_amoris-laetitia.html).

    Por fim, resgatemos o verdadeiro sentido do quarto mandamento de Deus. Ao percebermos que a vocação dos pais se inicia no amor, que unindo e solidificando-se no matrimônio, os pais recebem a missão da educação e formação dos filhos, a vontade de Deus se concretiza com o ciclo da vida, onde os filhos são responsáveis pelos pais no final da vida.

    Rezemos e vamos dar bons exemplos que fortaleçam os vínculos familiares. A família que cresce na oração se solidifica e santifica o mundo. Que Deus abençoe todos os pais e as nossas famílias!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    3 + dez =