Dia do Trabalho

    Depois de uma semana intensa de preparação, celebramos, no dia 1º de maio, o Dia do Trabalho ou do Trabalhador. Para dar um caráter cristão a essa festa, o Papa Pio XII instituiu nesse mesmo dia, em 1955, a memória litúrgica de São José Operário, como o exemplo de trabalhador. O Papa Pio XII cristianizou essa festa e assim dignificou os frutos do esforço do trabalho de cada um.

    O Dia do Trabalhador serve para refletir sobre o emprego que temos e ainda rever as condições de trabalho. É importante que cada trabalhador reivindique condições dignas de trabalho. O trabalho não deve ser algo cansativo, moroso e que nos deixe tristes e desanimados. O trabalho deve ser algo prazeroso, pois passamos boa parte de nosso dia no trabalho. O local do trabalho deve ser onde todos se sintam bem e que não tenha opressão e nem discriminação por parte de seus superiores e colegas de trabalho.

    Esse Dia do Trabalho e do Trabalhador serve, portanto, para que cada trabalhador reflita sobre as suas condições de trabalho e busque os seus direitos por um trabalho sem opressão e reveja se compensa continuar naquele emprego ou seja melhor buscar outro. Para aqueles que se encontram desempregados, é uma oportunidade de pedir a Deus e a São José um bom emprego e escolher um emprego que tenha condições dignas de trabalho.

    Todos os trabalhadores são pessoas e merecem respeito. Se quer empregar alguém, tem que dar condições dignas para o empregado trabalhar e pagar um salário de acordo com a função que ele exerce. Por isso, é bom nesse dia todos os trabalhadores refletirem sobre o seu trabalho.

    Nessa data, também, é homenageada a luta dos trabalhadores que reivindicaram por melhores condições trabalhistas. Graças à coragem e persistência dessas pessoas, os direitos e benefícios atuais dos quais usufruímos foram conquistados. Muitas vezes, passamos mais tempo do dia no trabalho do que em casa, praticamente, só dormimos em casa. Por isso, o local de trabalho deve ser agradável, onde todos se sintam bem.

    Até meados do século XIX, os trabalhadores nem pensavam em exigir os seus direitos trabalhistas, apenas trabalhavam, mesmo em condições insalubres de trabalho, tinham medo de seus patrões e de correr atrás de seus direitos. A partir de 1886, aconteceu uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, para reivindicar a redução da jornada de trabalho, de 13h para 8h diárias. Foi num dia 1º de maio que milhares de pessoas foram às ruas iniciando uma greve geral nos Estados Unidos.

    Três anos após essa manifestação de Chicago, foi convocada, em Paris, uma manifestação anual para a reivindicação das horas de trabalho e foi programada, para 1º de maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. No dia 23 de abril de 1919, o Senado Francês ratificou as 8h de trabalho e proclamou o dia 1º de maio como feriado. Após alguns anos, outros países também seguiram o exemplo da França e decretaram o dia 1º de maio como feriado nacional, dedicado aos trabalhadores.

    Os trabalhadores sempre tiveram uma história de luta por seus direitos, desde o século XIX, e até aos dias de hoje. Devem, sempre que se sentirem lesados ou prejudicados, lutar por seus direitos. Por isso, o Dia do Trabalho e do Trabalhador deve ser, sobretudo, o momento de agradecer o emprego que tem e rever as suas condições de trabalho. Pedir a intercessão de São José Operário que exercia com muito afinco a sua profissão. Sabiamente, o Papa Pio XII cristianizou esse dia para que não seja apenas um dia de manifestações, mas de agradecimentos.

    No Brasil, o Dia do Trabalho só foi reconhecido em 26 de setembro de 1924, através do decreto Nº 4.859, assinado pelo então presidente Artur da Silva Bernardes. A criação da CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) foi instituída através do decreto lei Nº 5.452, em 1º de maio de 1943, na gestão de Getúlio Vargas. Durante o governo de Vargas, realizavam-se grandes manifestações que incluíam músicas, desfiles e, normalmente, o anúncio de alguma nova lei trabalhista. Nos dias de hoje, alguns governos ainda utilizam o dia 1º de maio para anunciarem novas leis trabalhistas, como aumento do salário-mínimo.

    O Dia do Trabalho aqui no Brasil é marcado por manifestações convocadas pelas centrais sindicais por melhorias das condições de trabalho. Nesses dois últimos anos, essas manifestações ficaram suspensas devido à pandemia da Covid-19, mas devem voltar esse ano. Podemos usar esse dia para irmos à missa e agradecer a Deus pelo emprego que temos e, aqueles que estão desempregados, é a oportunidade de pedirem um novo emprego. Esse ano, o dia 1º de maio cairá num domingo, ficando ainda mais fácil de participarmos das celebrações eucarísticas.

    Celebremos esse Dia do Trabalho e do Trabalhador agradecendo a Deus pelo emprego que temos, porque sem ele não poderíamos levar o sustento para a nossa família. Façamos o esforço de realizar o nosso trabalho com afinco e empenho para continuar em nosso emprego e termos oportunidade de crescimento. Se caso nos sentirmos lesados em algo, primeiro conversemos com nossos superiores, antes de fazermos alguma manifestação ou tomar alguma atitude drástica.

    Que São José Operário interceda por cada um de nós e nos proteja em nossos locais de trabalho. Que o Espírito Santo nos dê a sabedoria para tomarmos a decisão certa. Amém.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    três × quatro =