Somos um povo santo

    A segunda leitura da liturgia do segundo domingo do Tempo Comum, tomada da primeira carta aos Coríntios(cf. 1Cor 1,1-3), nos oferece uma chave para compreendermos a Palavra de Deus. Paulo nos diz que escreveu a carta “para os consagrados por Jesus Cristo, para o povo santo chamado por Ele e para aqueles que, em algum momento invocam o nome de Jesus Cristo”. Isso é exatamente o que o Batismo fez de nós: um povo santo, um povo de consagrados.
    Por quê? Porque no Batismo nos fizemos um com Jesus, sua vida tornou-se nossa. E Ele é consagrado pelo Pai. Para entendermos quem é Jesus e quem somos nós após o batismo com Ele, serve-nos a primeira leitura, do profeta Isaías(Is 49,3.5-6): “Tu és meu servo”, “faço-te luz das nações para que a minha salvação chegue até os confins da terra”; e o evangelho(Jo 1,29-34) em que João Batista dá testemunho de Jesus: “Este é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. João via como o Espírito Santo descia sobre Jesus e entendeu que Ele era “aquele que haveria de batizar no Espírito Santo”, e dá testemunho de que é “o Filho de Deus”.
    Jesus é o eleito por Deus para trazer a salvação a todos os povos. O amor e o perdão de Deus não são destinados, de maneira exclusiva, a uma raça, a um povo ou a uma cultura. São para todos sem exceção. Para essa missão, Jesus é ungido pelo Espírito Santo, pelo Espírito de Deus. Esse Espírito é o que o converte em Filho de Deus. A missão está centrada no perdão dos pecados, na reconciliação, que abre as portas para uma vida mais plena. Jesus nos convida à conversão porque nele teremos uma oportunidade verdadeira de começar uma nova vida.
    Ao sermos batizados em Jesus, somos incorporados a Ele. Por isso, podemos dizer com segurança que somos um povo santo, que estamos cheios do Espírito Santo e que temos a missão de oferecer o amor e a salvação de Deus a todos aqueles que nos rodeiam. Porque o amor de Deus não é uma exclusividade nossa. É para todos. Seria bom que olhássemos uns para os outros. Nos bancos da nossa igreja vemos pessoas normais. Certo? Sim, pessoas normais, mas também povo santo, povo consagrado, testemunhas do amor de Deus em meio são mundo. Quando saímos da missa, a cada domingo, devemos saber que nos foi dada a missão de sermos testemunhas do amor de Deus. A graça e a paz de Deus estão conosco. Ficamos cheios do Espírito. Hoje é tempo de levantar a cabeça  e sentir orgulho de quem nós somos. Somos o povo de Deus e temos uma missão a cumprir: mostrar ao mundo com a nossa vida que Deus está conosco e nos ama; que não há pecado que não mereça perdão; que Deus sempre nos espera para nos devolver a vida e que esta mensagem é para toda a humanidade.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    17 − dezessete =