Santo Antônio

    O próximo domingo é dia 13 de junho. Como é o Dia do Senhor, ele prevalecer diante das festas devocionais. Porém nas igrejas e paróquias em que ele é padroeiro, celebramos o dia de Santo Antônio, um santo com um forte teor pela devoção popular e que muitas pessoas acorrem a sua proteção, sobretudo, aquelas pessoas que querem pedir casamento ao santo.

    A tradição piedosa de ele seria o protetor do casamento ou daquelas pessoas que querem se casar foi devida pela devoção popular das pessoas. Santo Antônio ajudava os pobres, dava pão a quem tem fome e ajudava as pessoas em suas necessidades, por isso no dia de Santo Antônio abençoa-se o pão de Santo Antônio, para que por meio da proteção do santo, nunca falte pão em nossa mesa.

    Essa benção do pão de Santo Antônio nos ensina. Sobretudo, a partilharmos o pão material com aqueles que pouco ou nada têm. Durante a celebração da missa, partilhamos o pão espiritual e, como cristãos, a Eucaristia nos ensina a partilhar o pão material.

    Durante a pandemia da Covid-19, bem sabemos que muitas pessoas perderam seus empregos, e muitas famílias perderam a sua fonte de renda e muitas vezes não têm o que comer na mesa na hora das refeições. Cabe a nós como cristãos ajudar essas pessoas, partilhando o alimento com elas e suprindo as suas necessidades. Pode ser que nós, um dia, necessitemos também. Por isso, leve um quilo de alimento na sua paróquia ou doe para algum conhecido, para que ele possa se alimentar.

    Santo Antônio dava pão para as pessoas que iam pedir na porta do convento onde ele residia. Muitas vezes, Santo Antônio levava o pão para as pessoas que ficavam à porta do convento. Daí vem a tradição de abençoar o pão de Santo Antônio no dia 13 de junho.

    Sempre quando celebramos a vida de um santo da Igreja, queremos imitar as suas virtudes e lembrar daquilo que ele fez em vida. Dessa forma, imitemos essa virtude tão bela que Santo Antonio tinha, que era a virtude da caridade, ou seja, principalmente ajudar os pobres.

    Santo Antônio é celebrado em um mês muito especial para a Igreja, em que celebramos, também, São João Batista, no dia 24, e São Pedro e São Paulo, no dia 29. É o mês das festas juninas, por isso as paróquias aproveitam o dia de Santo Antônio e desses outros santos para realizarem os festejos juninos que neste ano deve ser a distância.

    Santo Antônio também foi um exímio pregador da Palavra, ou seja, ia nas paróquias fazer sermões, ou no próprio mosteiro, ia nas catequeses e reunia pessoas para anunciar a Palavra de Deus. Que possamos ser pregadores da Palavra, a exemplo de Santo Antônio e dos santos que celebramos nesse mês.

    Santo Antônio é protetor das coisas perdidas, é o santo dos milagres e fez muitos ainda em vida. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados. Redigiu sermões, tratados sobre a Quaresma e os Evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

    A imagem mais conhecida de Santo Antônio e que está presente em nossas paróquias é a do santo carregando o Menino Jesus em seus braços, pois o Santo acolhia as crianças que acorriam a ele, cumprindo assim o mandato de Jesus: “deixai vir a mim as crianças”. Mas, ele não acolhia apenas as crianças, mas todas as pessoas que acorriam a ele. A vida de Santo Antônio se assemelhava muito à vida de Cristo, distribuindo o “pão de amor”, acolhendo os doentes, e aqueles que eram desprezados pela sociedade. Da mesma forma que Jesus, ele defendia os mais pobres e marginalizados. Por isso, a imagem do Santo traz o Menino Jesus em seus braços.

    Santo Antônio morreu ainda jovem, em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos. Por isso, ele é conhecido também como Santo Antônio de Pádua. Porém, pela tradição franciscana ele é chamado também por Santo Antônio de Lisboa pois ali ele nasceu, em Portugal, e falece em Pádua, na Itália. Antes de falecer nas portas de Pádua, Santo Antônio diz: “Ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas”. E completou, “estou vendo o meu Senhor”. Em seguida, faleceu.

    Sua canonização foi realizada pelo Papa Gregório IX, na Catedral de Espoleto, em 30 de maio de 1232, sendo o processo mais rápido da história da Igreja. Em 1934, foi declarado Padroeiro de Portugal e, em 1946, foi proclamado Doutor da Igreja, pelo papa Pio XII, devido aos escritos e ensinamentos que o santo deixou.

    Onde for possível, celebremos com alegria a festa de Santo Antônio no próximo dia 13 de junho, trazendo para a nossa vida os ensinamentos que ele deixou, sobretudo, o serviço e o cuidado com os mais pobres. Que possamos partilhar o pão com quem pouco ou nada tem, isso é colocar o evangelho de Jesus em prática.

    Oração a Santo Antônio

     Meu querido Santo Antônio dos mais carinhosos, o vosso ardente amor a Deus, as vossas sublimes virtudes e grande caridade para o próximo, vos mereceram durante a vida o poder de fazer milagres espantosos. Nada vos era impossível senão deixar de sentir compaixão pelos que necessitavam da vossa eficaz intercessão. A vós recorremos e vos imploramos que nos obtenhais a graça especial que nesse momento pedimos. Ó bondoso, e santo taumaturgo, cujo coração estava sempre cheio de simpatia pelos homens, segredai as nossas preces ao Menino Jesus, que tanto gostava de repousar nos vossos braços. Uma palavra vossa nos obterá as mercês que pedimos. (fonte Cruz terra Santa).

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    um + dezoito =