Paróquia Santa Edwiges celebra sua padroeira, a santa dos endividados e desesperançados

Construída a partir da mobilização de fiéis no distrito do Grajaú, em São Paulo, igreja é um dos marcos na região e festejará sua padroeira nos dias 16 e 17 de outubro

Uma paróquia constituída de migrantes de vários estados e cuja história se configura a partir de sua luta, conquistas, fé e devoção. É assim que o Padre Paulo Alexandre Saraiva, pároco da Paróquia Santa Edwiges, localizada no bairro do Jardim Noronha, distrito do Grajaú, em São Paulo, a define. A igreja surgiu com a ajuda e dedicação dos fiéis que agora se preparam, com muita alegria, para a grande festa de sua padroeira, que acontecerá durante dois dias: 16/10 (dia de Santa Edwiges), com missas às 10h e às 18h, e dia 17/10, com missa da crisma às 8h, celebrada pelo Dom José Negri, PIME, Bispo da Diocese de Santo Amaro, seguida por um almoço festivo, a partir das 11h.

Padre Paulo vê duplo motivo para celebrar, já que a festa deste ano marca a retomada das comemorações presenciais, após um extenso período de isolamento social, em razão da pandemia. Para o pároco, o período foi muito difícil, especialmente com a interrupção das celebrações presenciais, já que, especialmente em momentos conturbados como esse, a presença na Casa do Pai é um meio de fortalecimento espiritual para muitos fiéis.

História da Paróquia Santa Edwiges

Tudo começou em 1981, no salão do senhor Antônio, no Jardim Noronha. Oriundo de uma família tradicional católica, ele dedicou o espaço para celebrações da palavra de Deus com um seminarista enviado pela Paróquia Nossa Senhora dos Migrantes.

No início havia poucos leigos, mas, com o auxílio dos fiéis, Dom Fernando Figueiredo, então bispo da Diocese de Santo Amaro, se deslocou até o salão na época para abrir uma votação, a fim de definir o nome de comunidade que ali se formara. Em homenagem ao senhor Antônio, que havia falecido, o nome escolhido foi Santo Antônio. Assim, a comunidade foi crescendo, com a ajuda de muitos leigos que faziam a celebração da palavra e de sacerdotes que celebravam aos domingos.

Em 24 de março de 2003, a comunidade se tornou Paróquia Santa Edwiges por meio de outra votação, com a presença de Dom Fernando. Hoje a igreja conta com missas semanais e dominicais, grupo de oração, terço dos homens, grupo de jovens, movimento da Mãe Rainha, movimento dos vicentinos, várias pastorais e ampla organização.

Os fiéis seguem como elemento primordinal da história da Paróquia e a auxiliam com diversas ações, como arrecadação de fundos para a igreja, festas e eventos beneficentes. Além disso, há uma grande mobilização para ajudar a população carente da região, especialmente na pandemia.

“Com a retomada presencial, nós intensificamos as atividades pastorais e serviços de caridade, como a distribuição de alimentos em larga escala para atender a extrema necessidade do nosso povo simples e carente de recursos”, afirma o pároco. Para ele, essa assistência faz perceber a vivência e a espiritualidade de Santa Edwiges tanto na paróquia como na comunidade.

Ele também ressalta a honra de receber algumas relíquias na Paróquia, como a da própria padroeira, que esteve na igreja nos dias 2 e 3 de outubro, e a de Nhá Chica – leiga brasileira considerada beata pela Igreja Católica – que chegará no dia 15 de outubro. Trata-se de um momento para aprofundar o conhecimento sobre a vida de duas mulheres que se colocaram totalmente a serviço dos mais pobres, fortalecendo a fé e a esperança nestes tempos difíceis.

Devoção a Santa Edwiges

Considerada a padroeira dos pobres e endividados, Edwiges nasceu no ano de 1174 em uma família nobre da Idade Média. Ela ficou conhecida por ajudar financeiramente os mais necessitados, incluindo pobres, enfermos, encarcerados, viúvas, crianças abandonadas, prostitutas e muitos outros. Após ficar viúva, ela retirou-se para o convento de Trébnitz, na Polônia hoje, onde permaneceu até sua morte, aos 69 anos. Por isso, é muito comum que, no dia 16/10, as pessoas rezem pela Santa para conseguirem um emprego e/ou quitarem suas dívidas.

Serviço:

Festa de Santa Edwiges

Dia 16/10: missas às 10h e às 18h

Dia 17/10: missa às 8h

Paróquia Santa Edwiges: Rua Rufino Zado, 333, Jardim Noronha, São Paulo (SP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 2 =