“O que vos digo, digo a todos: Vigiai!”

    Meus irmãos e irmãs iniciamos nesse Primeiro domingo o tempo do Advento e com ele iniciamos um novo Ano Litúrgico e assim queremos iniciar a nossa preparação para o Santo Natal. Será neste ano, por causa das restrições da pandemia, um Natal mais familiar, mais contemplativo dentro daquele silêncio da gruta de Belém e com os respeitos devidos aos protocolos sanitários. Somos convidados neste tempo do Advento por meio da oração e da vigilância aguardar o Senhor que virá. Jesus já nasceu uma vez na manjedoura em Belém e agora Ele quer nascer na manjedoura do nosso coração. Assim somos convidados a nos preparar bem, através dos sacramentos, sobretudo o da reconciliação limpando o nosso coração para acolhermos o Senhor que virá.

    Participemos da celebração deste Primeiro Domingo do Advento na firme esperança do Senhor que virá; que ao acender a cada Domingo a vela da coroa do Advento, possa acender em nós a luz da esperança de dias melhores que virão e que pouco a pouco as trevas que ainda existem possam dar lugar a luz.

    Neste Tempo do Advento omitimos o cântico do Glória nas celebrações Eucarísticas para que na noite de Natal possamos entoa-lo com o coração cheio de alegria, louvando e agradecendo a Deus pelo nascimento de Jesus Cristo; essa omissão são herança da influência da liturgia galicana desde o séc. XII.

    Durante este Tempo do Advento alguns personagens bíblicos nos ajudam em nossa reflexão e meditação em preparação para a celebração do Senhor que vem. Um deles é o profeta Isaías que vamos acompanhar sobretudo na Primeira Leitura durante este Tempo do Advento. Isaías profetizava sobre um tempo de paz que estaria por vir sobre todo o povo de Israel, a partir do nascimento do Messias. Isaías era um profeta visionário, ou seja, tinha a visão de futuro, de um futuro de paz e prosperidade para todo o povo.

    Na Primeira Leitura de hoje (Is 63,16b-17.19b;64,2b-7), o profeta questiona o Senhor de como que ele deixou que o povo andasse longe de seus caminhos e endurecesse o coração do povo para não ter o seu temor. O profeta pede que o Senhor volte atrás e perdoe os pecados e as injustiças cometidas pelo povo. O profeta pede que o Senhor venha ao encontro daqueles que praticam a justiça com alegria e de quem se lembra d’Ele em seus caminhos. E que apesar dos pecados que outrora cometemos Ele nunca desiste de nós e sempre está pronto a nos perdoar, e o desejo de Deus é salvar a todos nós.

    No salmo responsorial 79 (80) o salmista pede para que o Senhor ilumine a sua face sobre nós e que por intermédio da sua palavra ele nos converta para que sejamos salvos.

    A Segunda Leitura (1Cor 1,3-9), o apóstolo Paulo louva e agradece a Deus por causa da graça que Deus concedeu à comunidade em Cristo Jesus. E dirige uma prece de súplica à comunidade dizendo-lhes que não lhes falta nenhum dom e devem aguardar na esperança a segunda vinda de Jesus Cristo.  Deus é fiel e por Ele fomos chamados a comunhão com o seu filho Jesus Cristo.

    O Evangelho deste Domingo (Mc 13,33-37), Jesus diz aos discípulos: Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento. E Jesus conta a parábola de um homem que viajou para o estrangeiro e deixou sua casa aos cuidados de seus empregados, distribuindo tarefas a eles. E mandou que o porteiro ficasse vigiando.

    Jesus nesse Evangelho nos dirige a sua palavra dizendo o que é a essência deste Tempo do Advento, que é a vigilância e a espera no dia do Senhor. A própria palavra Advento tem em seu significado a palavra esperar, ou seja, aquilo que está por vir. De fato, não sabemos qual o dia e a hora que o Senhor virá, pode ser pela manhã, a tarde ou de madrugada. E qual a melhor maneira de nos prepararmos para esse dia do Senhor? Com certeza não há outro meio a não ser pela oração. A oração nos sustenta e nos prepara para ficarmos de pé diante do Senhor, na certeza de que Ele vem ao nosso encontro, esperando que estejamos dispostos a encontrá-lo.

    De fato, assim é a nossa vida, devemos estar em constante vigilância pois, não sabemos quando será o nosso encontro com o Senhor. Devemos viver a nossa vida praticando a justiça, o amor, e a caridade, nos pautando por tudo aquilo que o Senhor nos ensina no Evangelho.

    Celebremos com alegria esse Primeiro Domingo do Advento, na alegre esperança do Senhor que está por vir. Que ele nos ajude a compreender o mistério do seu nascimento por meio da oração e vigilância e possamos vivenciar mais um Ano Litúrgico que se inicia, compreendendo que devemos ser aqui na terra instrumentos da salvação de Deus, sendo sacerdotes, profetas e reis.

     Vivamos intensamente o Tempo do Advento! Vamos preparando o presépio em nossas casas e a coroa do Advento! Vivamos na vigilância e na oração o espírito do nascimento do Redentor que nasceu para nos salvar!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    vinte − oito =