Eu estou contigo todos os dias

    Normalmente, celebramos o dia dos avós, e, consequentemente, da pessoa idosa,  no dia 26 de julho que é o dia de Santana e São Joaquim, pais de Nossa Senhora e avós de Jesus. Só que esta data normalmente cai em dia de semana, diferente do Dia das Mães ou Dia dos Pais que sempre caem no domingo (maio e agosto). Assim essa data acaba ficando esquecida como o dia dos Avós. Isso agora mudou.

    Para mudar essa situação, o Papa Francisco decidiu instituir o primeiro Dia Mundial dos Avós e dos idosos, ou seja, o mundo inteiro celebrará essa data e não somente algumas localidades. E essa data seria celebrada no quarto domingo do mês de julho, que é a ocasião mais próxima ao dia de Santana e São Joaquim. Neste ano esse dia será comemorado no domingo 25 de julho.

    Sendo celebrada em um domingo, essa data terá um apelo maior e mais pessoas se lembrarão da importância de cuidar dos avós e dos idosos. Vivemos em um tempo em que a violência contra as mulheres e idosos cresceu muito. E muitos idosos são maltratados por seus parentes, vivem em situações precárias, ou quando não são colocados em asilos e esquecidos por seus parentes. Muitos filhos e netos nem ligam mais para seus avós e pais por serem “velhos” e estes se sentem depressivos e sozinhos.

    Por isso, o Papa Francisco foi muito feliz ao colocar essa data em evidência, fazendo com que o mundo inteiro volte a atenção para os idosos e pensem dentro de si como estão cuidando dos idosos de sua família. O Papa quer perpetuar essa data e que ela tenha o mesmo grau de importância que tem o Dia das Mães e o Dia dos Pais – não a mesma importância comercial, mas a mesma importância do carinho que devemos ter com nossos avós e idosos. Esta é uma data antes de tudo de oração e de atenção em favor dos avós. Afinal, chegar à velhice é uma graça de Deus e ser avô ou avó é ser mãe e pai duas vezes. A reflexão do Papa Francisco para esta data é significativa e importante.

    Assim o Papa inicia sua mensagem: «Eu estou contigo todos os dias» (cf. Mt 28, 20) é a promessa que o Senhor fez aos discípulos antes de subir ao Céu; e hoje repete-a também a ti, querido avô e querida avó. Sim, a ti! “«Eu estou contigo todos os dias» são também as palavras que eu, Bispo de Roma e idoso como tu, gostaria de te dirigir por ocasião deste primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos: toda a Igreja está solidária contigo – ou melhor, conosco –, preocupa-se contigo, ama-te e não quer deixar-te abandonado.”

    Além da questão dos avós, esse dia nos ajudar a aprofundar e a melhorar ainda mais nossa Pastoral da Pessoa Idosa, que além das preocupações sanitárias deve procurar ser uma presença evangelizadora com nossos irmãos e irmãs idosos.

    Com essa celebração, o Papa quer recordar e celebrar o dom da velhice e daqueles que antes de nós receberam o dom da fé e eles mesmo nos transmitem esse dom da fé. Quantos avós não ensinaram aos seus netos as primeiras orações cristãs e as “coisas” de Deus e quantos idosos ainda no dia de hoje são catequistas e levam muitas crianças a professarem a sua fé. Por isso, essa data é tão importante e será um momento sobretudo para agradecer a presença de tantos idosos na nossa vida e recordar aqueles que passaram por nós e agora já estão na eternidade.

    O Papa Francisco diz, ainda, que celebrar esse dia é celebrar as raízes dos povos, as ligações entre as gerações e isso é um tesouro que deve ser preservado. Devíamos, em cada família, lembrar sempre todas as gerações, como começou aquela família, quem foi o primeiro parente que chegou, seja de fora do país ou de outro estado. Deveríamos ter em cada família como que uma árvore genealógica, para que todos conheçam como se formou aquela família. Temos que cuidar da história da nossa família e pedir que as futuras gerações também cuidem.

    Para o Papa Francisco, os idosos e avós são um verdadeiro “presente” que muitas vezes esquecemos essa riqueza, desprezamos a sabedoria e o ensinamento que as pessoas mais velhas podem nos transmitir. Os jovens, hoje em dia, não querem ouvir o conselho dos mais velhos e querem seguir os seus próprios caminhos e ainda desprezam os mais velhos. Muitas vezes as pessoas só vão se arrepender do modo como trataram os idosos muito tarde, ou seja, na hora do leito de morte, aí não adianta pedir desculpas e querer ouvir. Por isso, antes que isso aconteça, escute os mais velhos, cuide dos idosos e ame os seus avós. É claro que não somente nesse domingo próximo do dia 26 de julho, mas todos os dias do ano. Que a comemoração do Dia Mundial dos Avós e Idosos nesse ano, nos impulsione a cuidar e amar os nossos idosos.

    O ponto de partida do Papa Francisco para aprofundar essa data é a festa da Apresentação do Senhor, que ocorre no dia 2 de fevereiro. Simeão e Ana, dois idosos iluminados pelo Espírito Santo reconhecem Jesus como Messias. Esta é a primeira grandeza daqueles que nos precederam no caminho da vida.

    O Espírito Santo desperta, ainda nos dias de hoje, palavras de sabedoria em nossos idosos. Isso faz com que eles cantem os louvores de Deus e conservem as raízes de seu povo. Eles nos lembram que a velhice é um presente e que os avós são o elo entre as diferentes gerações. Eles transmitem aos jovens a experiência de vida e da fé. Por isso, não tornemos a vida dos idosos de nossa família um peso, mas que eles cheguem na velhice alegres e felizes.

    A decisão do Papa Francisco vem ainda a partir da situação atual em que vivemos, provocada pela pandemia da Covid-19. Muitos idosos vivem sozinhos e isolados por conta de não ter contato com os demais membros da família por causa da pandemia e esses idosos devem ser preservados como uma memória a ser transmitida. A partir disso, vem a iniciativa do Papa Francisco em celebrar essa data todos os anos no quarto domingo de julho.

    Quase ao final de sua mensagem, o Papa Francisco, assim se expressa: “Por fim, a oração. Como disse o meu predecessor, Papa Bento (um idoso santo, que continua a rezar e trabalhar pela Igreja), «a oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o talvez de modo mais incisivo do que a fadiga de tantos». Disse-o quase no fim do seu pontificado, em 2012. É belo! A tua oração é um recurso preciosíssimo: é um pulmão de que não se podem privar a Igreja e o mundo (cf. Papa Francisco, Exort. ap. Evangelii gaudium, 262). Sobretudo neste tempo tão difícil para a humanidade em que estamos – todos na mesma barca – a atravessar o mar tempestuoso da pandemia, a tua intercessão pelo mundo e pela Igreja não é vã, mas indica a todos a serena confiança de um porto seguro.”

    Celebremos com alegria esse primeiro Dia Mundial dos Avós e Idosos. Que seja o primeiro de muitos e que possamos dar a atenção devida aos nossos idosos e nossos avós e que possamos sempre ouvir os seus conselhos cheios de sabedoria. Se não pudermos estar presencialmente com nossos avós, ao menos liguemos para eles e se eles já faleceram, lembremo-nos de rezar por eles. Ensinemos as futuras gerações a respeitar os mais velhos. Não existe alegria maior do que estar presente na vida de um ancião!

    Santana e São Joaquim, rogai por nós.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    dezessete + dezesseis =