Arquidiocese do Rio de Janeiro e entidades lançam projeto “Rio se Move”

Com participação da CNBB, iniciativa busca reforçar legado humano dos grandes eventos, como as Olimpíadas

Faltando 101 dias para o início dos Jogos Olímpicos Rio2016, a arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ) lançou, na terça-feira, dia 26, o projeto “Rio se Move”. Em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e entidades alemãs, a iniciativa tem como objetivo dar maior visibilidade aos programas existentes na arquidiocese que atuam em benefício das pessoas que sofrem exclusão social, presente no contexto dos grandes eventos.

O projeto foi apresentado em uma entrevista coletiva à imprensa, com participação do arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta; do bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner; da presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), irmã Maria Inês Ribeiro; e dos diretores executivo e de Marketing da agência de desenvolvimento alemã Adveniat, respectivamente, Stephan Jentgens e Christian Frevel.

O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, destacou que a parceria entre a arquidiocese, as Conferências e as instituições alemãs é uma oportunidade de fazer com que os grandes eventos possam alcançar as pessoas que estão à margem da sociedade, de forma que, ao renovar as esperanças, esse possa ser um tempo novo para o povo carioca. Dom Leonardo contou que a iniciativa é uma versão brasileira de um projeto que nasceu na Alemanha, chama Rio nos Move e, junto com várias instituições de caridade, percebeu as necessidades da população local e colocou jovens e adultos à disposição para ajudar.

“A CNBB, a CRB e a arquidiocese do Rio estão unidas a essas instituições alemãs para falar, principalmente, de um legado mais humanizado, de forma que os grandes eventos, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, realmente possam chegar ao coração da nossa gente, incluindo, educando, dando mais expectativas e esperanças de que este evento que vai passar vai deixar um tempo novo na cidade”, destacou.
Evangelização

O arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani, falou sobre a oportunidade de evangelização no Jogos Olímpicos e ressaltou que “a Igreja está atenta e busca estabelecer diálogos e pontes com grupos envolvidos”.

“Sabemos que o mundo dos esportes é um campo, ao mesmo tempo, fértil e aberto para a evangelização. O Rio de Janeiro vai receber esses grandes eventos esportivos e a arquidiocese não pode se omitir diante da responsabilidade de fazer com que o Evangelho seja anunciado e os legados humanos e sociais se destaquem”, afirmou o cardeal.

Dom Orani considerou que a cidade é uma “vitrine para o mundo, com seus elogios e críticas” ao falar da atenção da Igreja particular na capital fluminense na busca por diálogo entre os grupos envolvidos na organização e realização dos jogos.

O arcebispo também partilhou as iniciativas de evangelização no período olímpico. Na Vila que receberá as delegações será feita uma “capelania” inter-religiosa. Nas paróquias próximas ao local, as pessoas serão acolhidas e serão realizadas celebrações de missas em diferentes idiomas. Alguns símbolos fortalecerão os “laços entre a evangelização e o mundo dos esportes”, como as bandeiras Olímpica e Paralímpica, abençoadas pelo papa Francisco, em sua visita ao Brasil, em 2013, a a Cruz Olímpica e o ícone da Paz, que marcam a presença da Igreja nos grandes eventos esportivos mundiais.

Atividades

O projeto Rio se Move tem várias atividades programadas até setembro. No dia 21 de maio será realizado o encontro “Esporte e Paz”, na Lagoa Rodrigo de Freitas. O evento tem por objetivo “manifestar publicamente o compromisso de diferentes atores da sociedade civil na prática do esporte, junto a escolas católicas e a comunidades religiosas, no caminho de promoção da paz”.

Já no dia 23 de junho, acontecerá o congresso “O esporte como promotor da Paz e do Desenvolvimento Humano”, no Museu do Amanhã, com a finalidade de ser instância de reflexão, promoção e compromisso para os legados que permanecerão após os Jogos Olímpicos. Nesta data, haverá também a premiação da Medalha de Valores, que vai homenagear pessoas promotoras da solidariedade por meio da doação na Alemanha. “A campanha visa incentivar valores que muitas vezes estão imbuídos da cultura do esporte, mas não ultrapassam a barreira dos Jogos para se instalarem como cultura local”, diz a organização.

Na ocasião, também será elaborada a carta conjunta na intenção de um maior legado humano e terá início a contagem regressiva para o evento “100 dias de Paz”, que será realizado entre os dias 5 de agosto e 18 de setembro, na paróquia São Marcelino, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Para esse evento, 200 jovens formados pela comunidade “Do Caos à Glória” atuarão durante os sete finais de semana dos períodos olímpico e paralímpico, evangelizando turistas em vários idiomas em diversos pontos da cidade.
Com informações e fotos da arquidiocese do Rio de Janeiro

Fonte: CNBB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × 5 =