Ações coletivas em prol do bem comum

    Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales

    Neste primeiro artigo como Bispo Diocesano de Jales, apresento meus agradecimentos pela acolhida que tenho recebido, esclareço o sentido da minha missão, compartilho minhas primeiras impressões sobre a realidade que passo a integrar e convido as forças vivas da região para ações coletivas em prol do bem comum.
    Agradeço à comunidade católica, especialmente a Dom Demétrio, aos padres e agentes de pastoral da Diocese de Jales, bem como às lideranças de outros seguimentos sociais de todos os municípios constituídos no território dessa Diocese, pela acolhida cordial que estão me proporcionando. Sinto-me agraciado por Deus pelas expressões sinceras de fraternidade que tenho recebido.
    Escolhido pelo Papa Francisco para a missão que Cristo confiou aos apóstolos e ordenado para essa missão por legítima sucessão apostólica, fui constituído pastor da Igreja Particular de Jales, para sinalizar em meio a essa porção do Povo de Deus, o pastoreio de Cristo, ministério este, compartilhado com os presbíteros da Diocese.
    Não estou substituindo a Dom Demétrio, senão dando continuidade à bela missão realizada por ele. Embora ele tenha se tornado emérito, continuará benemérito. Felizmente poderemos continuar contando com sua amizade, sabedoria e colaboração, respeitando-lhe o justo direito de tomar chimarrão com mais calma, dar um pouco mais de tempo a amigos e parentes, e até mesmo pescar, o que nem sempre lhe foi possível por ter estado intensamente dedicado ao serviço episcopal.
    Nas duas semanas à frente da Diocese, já experimentei o que é praxe na vida de um bispo, uma agenda repletíssima: visitas a comunidades e a entidades hospitalares e socioeducativas; reuniões com coordenações pastorais; celebrações em comunidades de diversos municípios; encontros com presbíteros, seminaristas, religiosas, agentes de pastoral, gestores públicos e lideranças de distintos setores sociais; tarefas administrativas; e presença nos meios de comunicação social.
    Alegra-me já ter tido oportunidade de me fazer presente entre famílias de condição humilde, do meio urbano e rural, sendo acolhido afetuosamente. Impressiona-me a amabilidade do povo desta região. Encanta-me sua educação e respeito. Admiro sua capacidade de dar tempo para conversar. Confesso que devo adaptar-me à sua calma. Noto que é um povo trabalhador e batalhador, disposto a colaborar com tudo o que é justo e saudável. Em pouco tempo, já conheci muitíssimas pessoas e entidades dedicadas voluntariamente à coletividade, motivadas exclusivamente pela caridade.
    Neste momento de impasse nacional entre dois projetos: um de um país mais socialmente justo e outro de um país com pouca distribuição de recursos, ocasionando confrontos que fazem a nação patinar, noto na vida política de Jales, uma boa vontade para convergir esforços em favor de um projeto regional de desenvolvimento econômico e social endógeno, ou seja desde si mesmo, sem excessiva dependência de investimentos externos, afiançando o mais valioso recurso existente na região que é seu capital humano.
    Conhecendo o histórico migratório de trabalhadores e estudantes para outras regiões, fragilizando vínculos familiares e comunitários, e o próprio desenvolvimento regional, convido as forças vivas da região a se encontrarem para construir um projeto de desenvolvimento que ofereça novas oportunidades educacionais, profissionais e econômicas, e garanta condições sociais mais dignas, sobretudo às 
    Convido essas forças vivas para ações coletivas em favor do bem comum, confiante na resposta positiva de todos os setores organizados da sociedade local e regional. Que Deus nos guie neste santo propósito!
    Jales, 15 de fevereiro de 2016.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    2 × cinco =