Tempo de Conversão

    A conversão é fruto de uma das virtudes quaresmais que é a penitência, esta indica mudança de vida, entrarmos de um jeito na Quaresma (chamados à conversão) e sairmos de outro (com o coração transformado). Deixarmos de lado aqueles pecados que trazemos e entrega-los na cruz onde Jesus Cristo deu a vida por nós e que celebramos especialmente na Sexta-feira Santa e ressuscitar com Ele para uma vida nova na Páscoa, lavados pela água do batismo (cujas promessas renovaremos no sábado santo) e transformados como homens novos.

    O essencial deste tempo quaresmal que iniciamos na quarta feira de cinzas é o convite à penitência, por isso os sacerdotes usam os paramentos na cor roxa, convidando-nos para este tempo de conversão. Toda a liturgia da Igreja se simplifica para que possamos nos concentrar no que é essencial. A Igreja nos recomenda de modo especial que façamos a confissão auricular para podermos celebrar de coração puro a Páscoa. Na vida, todos devem ter o direito à uma outra chance e deixar os erros passados para trás, construindo, assim, uma nova história. Deus faz conosco, nos reconstrói na nossa feriada e nos dá uma nova chance, para voltarmos e fazer diferente. Esse é o caminho de conversão.

    É proporcionado a nós os quarenta dias para refletirmos os caminhos que estamos andando e trilhar novos, por isso, a palavra conversão.  Escolhemos um novo caminho para a nossa vida livre da mancha do pecado, visando à santidade. E essa é a proposta desse tempo quaresmal. Isso é conversão. Mudarmos o caminho. Tomarmos a direção proposta pelo próprio Cristo. Pois Ele mesmo é o caminho, a verdade e a vida.

    A conversão pode ser definida como um ato consciente de uma pessoa regenerada, no qual ela se volta para Deus em arrependimento e fé. Observe que há dois movimentos presentes na conversão: um movimento de afastamento do pecado, caracterizado pelo arrependimento, e um movimento de aproximação de Deus, caracterizado pela fé. Deus fica feliz quando nos arrependemos de nossos pecados e nos confessamos diante do sacerdote e buscamos uma vida nova.

    O Papa Francisco nos pede que retomemos o costume noturno do exame de consciência: “Fazer todas as noites o ‘exame de consciência’ como uma oração, para averiguar se o que nos moveu durante o dia foi ‘o espírito de Deus ou o espírito do mundo’, é um exercício decisivo na nossa ‘luta espiritual’ que nos leva ‘ compreender o coração’ e ‘o sentido de Cristo’, sugeriu o Papa, recordando que ‘o coração do homem é como um campo de batalha’ no qual se enfrentam continuamente ‘o espírito de Deus, que nos leva às obras boas, à caridade, à fraternidade e o espírito do mundo’ que, ao contrário, ‘nos leva à vaidade, ao orgulho, à suficiência, ao mexerico’.” (cf. http://www.vatican.va/content/francesco/pt/cotidie/2018/documents/papa-francesco-cotidie_20180904_exame-consciencia.html, último acesso em 14 de fevereiro de 2020.)

    A conversão deve ser contínua, porém, existem momentos importantes e decisivos de tomada de consciência e de presença da graça de Deus: lembremos do que aconteceu com Paulo no caminho para Damasco, o que acontece com São Paulo é uma mudança de postura, de perseguidor a Cristo de quem ele se torna seguidor. “Enquanto isso, Saulo só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor. Apresentou-se ao príncipe dos sacerdotes e pediu-lhes cartas para as sinagogas de Damasco, com o fim de levar presos, a Jerusalém, todos os homens e mulheres que seguissem essa doutrina. Durante a viagem, estando já em Damasco, subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’. Saulo então diz: ‘Quem és, Senhor?’. Respondeu Ele: ‘Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro te é recalcitrar contra o aguilhão’. Trêmulo e atônito, disse Saulo: ‘Senhor, que queres que eu faça?’ respondeu-lhe o Senhor: ‘Levanta-te, entra na cidade, aí te será dito o que deves fazer’”. (Cf At 9)

    Ele tem uma visão teofânica, ou seja, ele sente a presença de Deus em sua vida, do Senhor o chamando para uma nova vida, deixando de lado a vida de pecado e promíscua, para uma nova vida na Graça de Deus. Assim é Deus conosco, nos toma pela mão e nos conduz para um caminho de conversão. Ou assim como Paulo, Deus enviou alguém para toma-lo pela mão e mostrar o caminho da salvação. Acontece conosco também, aparecem pessoas que são instrumentos de Deus na nossa vida e nos encaminham para o caminho de conversão.

    Assim como aconteceu com São Paulo, muitos podem não acreditar na nossa mudança, mas o que mais importa é que Deus saiba a mudança que ocorreu em nós e o nosso esforço para que essa mudança de vida acontecesse.

    Gostaria de compartilhar um exame de consciência para que olhando para dentro de cada um de nós procuremos uma confissão bem-feita e uma mudança de vida na busca da vivência da santidade. Por isso, acesse o endereço  https://www.comshalom.org/exame-de-consciencia/ e faça uma excelente preparação para a sua confissão auricular.

    Portanto, fiquemos firmes em Deus. Se tem algo para mudar em nós, que aconteça agora neste tempo propício em que somos chamados a conversão, a mudança de vida. Que no final dessa Santa Quaresma possamos ser pessoas novas, transformadas pela graça de Deus. Aproximemo-nos sem medo do sacramento da confissão, para nos libertamos dos nossos pecados.

    Assim, sendo pautados pelas virtudes quaresmais do jejum, oração e esmola, se abra para nós o caminho de conversão que Deus nos proporciona.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    oito − um =