SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

    Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz” (cf. Jo 18,37)        

             Nesta Solenidade de Nosso Senhor de Jesus Cristo, Rei do Universo, encerramos mais um ano litúrgico, onde somos convidados a refletir sobre a realeza de Jesus Cristo, a qual se concretiza pela lógica de Deus trazendo a Verdade ao mundo, a mesma que libertará de toda opressão, violência, preconceito, ódio, crueldade que assombra e assola os corações dos homens.

    A Primeira Leitura dada da Profecia de Daniel (Dn 7,13-14), demonstra o futuro que é aguardado quando o Filho de Homem retornará e conduzirá todos os povos à Luz da Verdade. Pois, “foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá” (cf. Dn 7,14).

    O Evangelho de João (Jo 18,33b-37), é apresentado a cena de Pilatos de frente a Jesus Cristo, onde Pilatos questiona sobre a realeza de Jesus. Porém, Jesus Cristo enfatiza que a sua Realeza é aquela dada do Alto e traz a correta verdade. Ora, o Reino de Deus não é deste mundo, por isto, Jesus Cristo veio trazer a todos nós o Verdadeiro Reino. Assim, das palavras proferidas do próprio Filho de Deus: “Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz” (cf. Jo 18, 37).

             A Segunda Leitura extraída do Livro do Apocalipse de São João (Ap 1,5-8), o autor sagrado reenfatiza os desdobramentos da Primeira Leitura e do Evangelho, onde a Majestade de Jesus Cristo será instaurada no Último Dia, daquele que virá em sua glória, em favor de todos que foram libertados das armadilhas do pecado através de seu sangue derramado. “Olhai! Ele vem com as nuvens, e todos os olhos o verão – também aqueles que o traspassaram. Todas as tribos da terra baterão no peito por causa dele. Sim. Amém! ‘Eu sou o Alfa e o ômega’, diz o Senhor Deus, ‘aquele que é, que era e que vem, o Todo-poderoso’” (cf. Ap 1,7-8).

    Vivificados pela Palavra desta Solenidade, no encerramento do Ano Litúrgico B, que estejamos preparados para “o dia que o Senhor fez para nós”, a fim de que vejamos a Realeza do Senhor sendo concretizada em nosso meio, libertando-nos de todos os males. E que possamos afirmar, numa só voz com o Salmista: “Deus é Rei e se vestiu de majestade, revestiu-se de poder e de esplendor!” (cf. Sl 92,1ab).

    Saudações em Jesus Cristo, Rei do Universo!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    10 + quatro =