Para dom Leonardo Steiner, encíclica Laudato Si’ marcou a história da Igreja e da humanidade

No contexto dos cinco anos da encíclica Laudato Si’ – sobre o cuidado da Casa Comum, o arcebispo de Manaus (AM), dom Leonardo Steiner, gravou um vídeo resgatando pontos importantes do texto e fazendo um convite para ler, refletir e rezar com o texto do Papa Francisco.

A Laudato Si’ marcou a história da Igreja, mas, eu diria, marcou a história da humanidade”, disse dom Leonardo. O texto exortativo do Papa, segundo o arcebispo, “tem nos despertado para a grandeza e a importância da convivência humana na sua totalidade“.

Em 2015, dom Leonardo divulgou a encíclica Laudato Si’ durante entrevista coletiva à imprensa, quando era secretário-geral da CNBB

Dom Leonardo chama atenção para a visão global que o Papa oferece em relação à vida no planeta, onde tudo está interligado, todos os elementos e seres da natureza. A Laudato Si’, continuou, convida a ter uma outra postura na convivência na nossa casa comum. “O texto ainda exige futuro, exige de nós muita dedicação. Esse texto é o futuro da humanidade, porque o futuro da nossa casa comum”.

Ao final, dom Leonardo convida a ler, refletir e rezar o texto da Laudato Si’, “para ajudar a viver melhor na casa comum e dar futuros aos nossos filhos e filhas”. Confira o vídeo aqui.

Laudato Si’ e Querida Amazônia

Na live desta quinta-feira, quando o bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, conversou com dom Leonardo sobre a realidade amazônica neste tempo de pandemia, também foram lembrados os cinco anos da encíclica, relacionando com a exortação apostólica pós-sinodal Querida Amazônia. Dom Joel recordou que dom Leonardo falara no início de seu ministério em Manaus que uma de suas missões é “consolidar a Querida Amazônia”.

Os sonhos que o Papa apresenta [na exortação apostólica Querida Amazônia] são quase que quatro dimensões da mesma realidade, de um mesmo mundo. Esses sonhos, o sonho social, o sonho cultural, o sonho ecológico e o sonho eclesial, abordam a totalidade. E a Laudato Si’ é o melhor exemplo de um documento que temos preocupado em mudar a concepção das relações com a totalidade. Vejam, quando [o Papa Francisco] usa a expressão ‘casa comum’, está dizendo que todos estão em casa, que todo os serem têm casa, todos os serem pertencem a esta casa“, afirmou dom Leonardo Steiner.

O arcebispo de Manaus também recordou uma fala em videoconferência realizada um dia antes no contexto da “Semana Laudato Si’”, na qual sublinhou a dependência do ser humano dos outros seres. “Os outros seres para existir não precisam de nós. O mundo existiria tranquilamente se nós não existíssemos, mas nós temos inteligência, temos fé, nós temos coração, nós é que precisamos cuidar melhor da nossa casa comum. E a Amazônia, na sua totalidade, é uma expressão da casa comum”, afirmou, recordando os cientistas que chamam atenção para a riqueza única da biodiversidade da região amazônica.

Nós estamos destruindo esta biodiversidade. E quando o Papa aborda a questão dos quatro sonhos, ele está no fundo tentando concretizar a Laudato Si’, que aborda questões vitais, chega a falar da necessidade de uma conversão ecológica“, disse.

Conversão ecológica

Dom Leonardo tem feito questão de ressaltar a questão da conversão ecológica, uma vez que é trazida pela encíclica Laudato Si’ como uma novidade na percepção bíblica e de fé que “nos leva a perceber que existem relações que precisam ser refeitas”. E, nesse sentido, continua, “a hermenêutica que o Papa faz do texto do Gênesis, do dominar traduzido para cuidar e cultivar, mostra a grande necessidade que existe de uma grande conversão ecológica. E os quatro sonhos exigem uma conversão, senão os sonhos não vão se concretizar”.

Confira o trecho da live quando dom Leonardo fala sobre a Laudato Si’

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × 5 =