Monge brasileiro é o custódio de um tesouro no centro de Roma

Natural de Umuarama (PR), há seis anos o monge beneditino Pedro Savelli é o reitor da Basílica de Santa Praxedes – o primeiro brasileiro em 820 anos a exercer este cargo.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

Um brasileiro é o custódio de um grande tesouro no centro histórico de Roma: o monge beneditino Pedro Savelli é o reitor da Basílica de Santa Praxedes e prior do Mosteiro, a dois passos da Basílica de Santa Maria Maior.

Segundo a tradição, ali alojaram os Apóstolos Pedro e Paulo, de acordo com uma referência bíblica contida na Carta a Timóteo. A história do templo está ligada diretamente ao martírio, conservando as ossadas de 2300 mártires, além dos restos das irmãs Santa Praxedes e Santa Pudenciana, filhas de São Pudêncio.

A Basílica atual tem cerca de 1200 anos e há mais de 820 foi confiada aos monges beneditinos Vallombrosanos, Ordem à qual pertence Dom Pedro. O brasileiro, natural de Umuarama (PR), exerce a função de reitor há seis.

Entre as obras de arte a serem admiradas, estão os mosaicos, a capela de São Zenão – considerado o monumento bizantino mais importante de Roma –, o busto do bispo Santoni (primeira escultura de Bernini) – e a coluna do flagelamento que, “se não é a original, é contemporânea a Jesus”, assim explica Dom Pedro no vídeo.

No “tour” pela Basílica, aliás, o monge brasileiro oferece uma verdadeira aula de Teologia e convida os brasileiros a visitarem o templo.

A coluna do flagelamento e a entrada da Basílica

O altar da Basílica

Um detalhe dos mosaicos
Veja o vídeo: https://www.facebook.com/vaticannews.pt/videos/467138253955755/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

6 − um =