Francisco envia carta pela 67ª Semana Litúrgica italiana

Rádio Vaticano (RV) – Por ocasião da 67ª Semana Litúrgica Nacional Italiana que começou nesta 2ª feira (22/08) em Gubbio e vai até o dia 25, o Papa Francisco enviou uma mensagem a Dom Claudio Maniago, bispo de Castellaneta, aos colaboradores da CAL e a todos os participantes dessa jornada de estudos.

A escolha do lugar foi motivada pela recorrência dos 1600 anos da Carta de Papa Inocêncio I a Decenzio, Bispo de Gubbio, e é mais oportuna ainda no contexto do Ano Santo da Misericórdia.

A Semana Litúrgica Nacional retoma o tema “Liturgia como lugar da Misericórdia”, com a ideia de oferecer no contexto desse ano jubilar uma especial contribuição à Igreja italiana.

Em sua mensagem, o Papa diz que “quando nos esforçamos em viver cada momento litúrgico «com um olhar fixo em Jesus e seu rosto misericordioso podemos colher o amor da Santíssima Trindade (…). Este amor se faz visível e tangível em toda a vida de Jesus (…).Tudo Nele fala da misericórdia. Nada Nele é privado de compaixão» (Misericordiae Vultus, 8). Estas palavras me lembram o papa Leão Magno, em sua homilia na Ascensão: «O que é visível (e tangível) do nosso redentor passa pelos sacramentos» (PL 54, 398).

Misericórdia

Tal ato ajuda a perceber toda a Liturgia como lugar de Misericórdia encontrada e acolhida para ser doada, lugar no qual o grande mistério da reconciliação é presente, anunciado, celebrado e comunicado. As específicas celebrações dos Sacramentos, declinam para o único grande dom da divina misericórdia segundo as diversas circunstâncias da vida”.

“O dom da misericórdia, porém, – ressalva Francisco – resplandece de modo todo particular no sacramento da Penitência e Reconciliação. É reconciliado para reconciliar. A misericórdia do Pai não pode se fechar em atitudes intimistas e auto consoladoras, porque ela se demonstra potente em renovar as pessoas e torná-las capazes de oferecer aos outros a experiência viva do próprio dom. Partindo da consciência que se é perdoado para perdoar, se é testemunha de misericórdia em qualquer ambiente suscitando o desejo de capacidade de perdão. Este é o desafio ao qual todos somos chamados, especialmente diante do rancor que as pessoas se fecham, aquelas que têm necessidade de reencontrar a alegria da serenidade interior e o gosto pela Paz”.

Penitência

“O rito da Penitência Sacramental é percebido como expressão de uma “Igreja em saída”, como “porta” não somente para reentrar depois de estar distante, mas como “passagem” paras as várias periferias da humanidade sempre mais necessitadas de compaixão.

O encontro com a Misericórdia recriadora de Deus transforma todas as mulheres e homens para anunciar a vida nova do Evangelho através da existência reconciliada e reconciliadora”, prossegue o Pontífice.

O Santo Padre faz votos de que as reflexões e celebrações da Semana Litúrgica “amadureçam sempre mais a compreensão da liturgia como fons et culmen  de uma vida eclesial e pessoal, cheia de misericórdia e compaixão, porque é constantemente formada pela escola do Evangelho”.

Por fim, confia à materna intercessão de Maria, Mater Misericordiae, pedindo que rezem por ele e pelo serviço à Igreja, e enviando de coração a todos os presentes uma especial bênção apostólica.

 

Fonte: Rádio Vaticano

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

um × 1 =