Forças-tarefas para ajudar os desabrigados no Centro de São Paulo

Cidadãos se mobilizam em ações solidárias para levar alimento para quem precisa

De quatro anos para cá, a população de moradores de rua no Centro da capital aumentou 54%. E se os números já eram preocupantes antes do novo coronavírus, quando registrávamos cerca de 24.334 pessoas em condição de vulnerabilidade em São Paulo – sendo 11.048 (45%) apenas na Subprefeitura da Sé –, agora, quando começamos a observar os impactos econômicos da pandemia, a situação se torna ainda mais dramática.

Com as ruas sem pedestres, portas dos comércios fechadas e carros em que os motoristas fecham os vidros assim que alguém se aproxima, até pelo risco de contaminação, essas pessoas, que não têm condições de fazerem o necessário distanciamento social, ficam sem ter nem a quem pedir ajuda. Felizmente, grupos de civis estão unindo forças para levar o básico ao principal grupo de risco quando se pensa no impacto social trazido pelo coronavírus.

Mobilizações como o Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), que intensificou uma ação que já praticava chamada Chá do Padre, na rua Riachuelo, montando uma segunda tenda em frente ao Mosteiro São Bento para a distribuição de refeições. A ação ainda dá espaço para recebimento de doações de outras iniciativas. Além de um espaço adjacente à tenda no Mosteiro, o Sefras recebe alimentos em três endereços:

Recifran – rua Junqueira Freire, 171, Liberdade;

Casa de Assis – rua Japurá, 234, Bela Vista;

Chá do Padre – rua Riachuelo, 268, Centro.

O grupo A Rede prepara e distribui 130 marmitas e kits de higiene, quinzenalmente, na sede do Instituto Construir (rua Guaianases, 1443), no Campos Elíseos. A próxima entrega acontece neste sábado (2) e os produtos oferecidos são angariados por meio de doação no site Abacashi (abacashi.com/contribute/arede).

A plataforma também está sendo usada para arrecadar doações para o Clube de Mães do Brasil (https://abacashi.com/p/clubedemaes), também conhecido como o Clube de Mães do Castelinho da Rua Apa, em referência ao imóvel tombado, sob o Minhocão, onde concentram suas atividades há mais de 20 anos. Todo dinheiro doado é revertido na compra de alimentos e produtos de higiene para mais de 200 famílias com crianças que moram na rua ou em ocupações na região central de São Paulo.

A iniciativa Por Nossa Conta entrega cestas básicas e kits de higiene pessoal em comunidade de bairros como Jardim Iporanga e Jardim Seu Jorge, no município de Franco da Rocha e na Ocupação Mauá, no Centro. A prestação pelos valores levantados e a conta bancária para doações são divulgados por meio da conta no Instagram:  @_por_nossa_conta_.

Momentos difíceis como este pedem ações civis, e qualquer um pode fazer sua parte. Ações como essas, em São Paulo ou em diversas outras cidades, podem ser encontradas na internet. Ou, se preferir, mobilize um grupo de amigos e faça a sua parte. Ainda são 40 milhões de brasileiros em condição de vulnerabilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito + catorze =