ESTE É O DIA QUE O SENHOR FEZ PARA NÓS

    Irmãos e irmãs, chegamos ao Domingo de Páscoa na Ressurreição do Senhor. Depois de celebrarmos com fé e piedade a Semana Santa e o Tríduo Pascal e, na noite de sábado santo, celebrarmos solenemente e com alegria a Vigília Pascal, hoje podemos com o coração cheio de gratidão ao Senhor celebrarmos o Domingo de Páscoa, iniciando os 50 dias do tempo pascal com oito dias de festa (oitava).

    Com a sua ressurreição, Jesus inaugura um novo tempo na história e nos dá um novo sentido para a nossa vida. Faz-nos perceber que a nossa vida aqui na terra é passageira, mas ela não termina aqui, continua na eternidade. Assim como Ele ressuscitou, nós igualmente ressuscitaremos.

    Jesus dá um novo sentido ao nosso domingo com a sua Ressurreição, pois Ele ressuscita no Domingo que é o primeiro dia da Semana e esse dia não se torna apenas um dia de descanso, mas um dia que devemos dedicar a Ele, um dia de preceito para participarmos da Eucaristia.

    Devemos celebrar esse dia com alegria, pois a vida venceu a morte e devemos ter no coração a certeza da esperança na nova vida que recomeça, pois, o Senhor nos precede. Na Páscoa, ao celebrarmos a ressurreição de Jesus, celebramos a vida que se recria.

    Esse ano, como todos nós sabemos, estamos em meio à pandemia da Covid-19 e, em muitos lugares, não poderá ter a Santa Missa com a presença de fiéis, para evitar aglomerações. Mas poderemos acompanhar a Missa de Páscoa pela televisão, internet e rádio (procure participar como se estivesse na Igreja, sem nenhuma outra atividade ou distração) e pedindo a Deus que possamos sair dessa terrível situação e tudo se renove com a sua Páscoa.

    O Ato Penitencial da missa de hoje é substituído pela aspersão da água benta, recordando assim o nosso batismo e o nosso novo nascimento para Deus. Que por meio dessa água que será aspergida sobre nós possamos permanecer fiéis ao batismo que recebemos. Na Vigília Pascal renovamos as nossas promessas do batismo e de igual modo recebemos a aspersão da água, pois a água tem esse sentido de limpar as nossas imundícies e nossos pecados e nos purifica, nos tornando novas criaturas.

    Como nos diz a Oração da Coleta da Missa de hoje, Deus por meio da Páscoa de Jesus nos abriu as portas da eternidade. Que Ele nos conceda que ao celebrarmos a ressurreição do seu filho, sejamos imbuídos do Espírito Santo e ressuscitemos para uma vida nova.

    Durante o Tempo Pascal que se inicia hoje e vai até Pentecostes, tanto a primeira como a segunda leitura são do Novo Testamento. A Primeira Leitura é sempre do livro dos Atos dos Apóstolos que narra o início da Igreja primitiva e os primeiros passos dos apóstolos, após o envio feito por Jesus.

    O trecho do livro dos Atos dos Apóstolos escolhido hoje é At 10, 34a. 37-43. Pedro tomou a palavra e disse aos que o ouviam tudo aquilo que havia acontecido com Jesus, até a sua morte e ressurreição. E lembra aos demais apóstolos o mandato que Jesus lhes havia dado de anunciarem ao mundo inteiro o Evangelho e, por meio dele, o perdão dos pecados. Pedro era o líder dos apóstolos, missão essa dada por Jesus, ele recebeu as chaves do reino dos céus e era e é ainda a coluna que sustenta essa Igreja fundada por Cristo. Por isso, ele toma a palavra e profere essas palavras.

    O Salmo Responsorial 117(118) nos diz em seu refrão: Este é o dia que o Senhor fez para nós: Alegremo-nos e nele exultemos”! De fato, esse é o dia que o Senhor fez para nós, dia de alegria, dia de ressurreição, dia de vida nova. Por isso, devemos arrumar um tempo para participarmos da missa nesse dia e sermos gratos ao Senhor.

    A Segunda Leitura, (Cl 3,1-4), Paulo diz que devemos sempre buscar as coisas do alto, onde se encontra Cristo. Pois as coisas celestes não perecem e as da terra, perecem. Assim como Cristo Ressuscitou, nós também ressuscitaremos. Há também uma opção de segunda leitura (1Cor 5,6b-8).

    A opção da Sequência de Páscoa deve nos conduzir a cantar com alegria transbordante e contagiante: “Cantai, cristãos, afinal”!

    O Evangelho (Jo 20, 1-9), Maria Madalena vai até o túmulo de Jesus, ainda de madrugada, quando ainda estava escuro e ela percebeu que a pedra havia sido retirada do túmulo. Então, ela sai correndo e vai encontrar Simão Pedro e os demais Apóstolos e lhes diz: “Tiraram o Senhor do túmulo e não sabemos onde o puseram”. Pedro ainda sem acreditar sai correndo junto com João e vão ao túmulo para conferir.

    Eles viram e constataram que de fato o Senhor não estava lá, eles não haviam compreendido ainda o que a Escritura dizia a respeito da ressurreição dos mortos. E aquilo que tantas vezes o próprio Jesus lhes havia dito, que morreria e ao terceiro dia ressuscitaria. Nas missas vespertinas pode-se ter uma opção: Lc 24, 13-35).

    Que nós, à luz da fé, possamos acolher a boa notícia que Jesus ressuscitou dos mortos e habita no coração de cada um de nós. Hoje Ele vive por meio do Espírito Santo que sempre faz novas todas as coisas.

    Que vivenciemos com alegria esse tempo pascal que vai até Pentecostes. Serão cinquenta dias anunciando as alegrias da ressurreição. E durante essa semana vivenciaremos a Oitava da Páscoa. São oito dias em que serão a extensão do Domingo de Páscoa e que poderemos aprofundar o mistério pascal e também continuar desejando uns aos outros “Feliz Páscoa”. Que essa Páscoa renove em cada um de nós os sentimentos de esperança num mundo melhor.

    Cristo Ressuscitou verdadeiramente, Aleluia, Aleluia.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    cinco × dois =