“Carinhosamente, O Filho do Divórcio”

Uma carta para os adultos divorciados – mas principalmente para aqueles que ainda não se casaram
Há circunstâncias em que a separação é inevitável, até por razões morais de segurança pessoal e dos filhos.

Mas, assim como no caso sempre espinhoso do aborto, talvez não seja o caso de focar tanto nos divórcios já consumados, mas sim nos que podem ser evitados.

É verdade que um casamento pode ser inválido, é verdade que um casamento pode terminar… Mas, muito mais importante: é verdade que todo casamento pode ser construído com alicerces sólidos. Assim como é verdade que toda relação sexual pode ser mantida com responsabilidade, consciência e, acima de tudo, amor de doação.

O foco mais inteligente das discussões sobre aborto e divórcio é este: como passar a não precisar deles em circunstância alguma.

É nesta perspectiva que propomos o seguinte vídeo: como um convite a construir casamentos mais sólidos de hoje em diante, capazes de durar por se alimentarem todos os dias de amor e doação recíproca. E quem faz este convite é um menino que, como tantos e tantos no mundo todo, sofre por se sentir um “filho do divórcio”.

Fonte: Aleteia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

9 − 5 =