100 anos do Papa São Joao Paulo II

    No dia 18 próximo lembraremos os 100 anos de nascimento do saudoso Papa João Paulo II. Ele nasceu na Polônia no dia 18 de maio de 1920. Amado e querido por todos o Papa Joao Paulo II foi logo beatificado após a sua morte, em 1º de Maio de 2011 com a Praça São Pedro lotada de fiéis e foi canonizado em 27 de abril de 2014 pelo Papa Francisco numa cerimônia inédita e que contou com a presença do Papa emérito Bento XVI, foi canonizado juntamente com outro grande Papa João XXIII e sua festa liturgia é celebrada no dia 22 de outubro.

             Karol Joseph Wojtyla era o seu nome de batismo, nasceu na Polônia era o mais novo de três irmãos, seu Pai era militar e sua mãe morreu quando ele tinha apenas oito anos de idade. A sua irmã mais velha morreu mesmo antes dele nascer e assim sendo ele se tornou bem próximo de seu irmão, que era médico e que anos mais tarde também veio a falecer por conta de escarlatina, e isso deixou Karol muito abalado. Karol tinha paixão pelo esporte quando era jovem, gostava de jogar futebol como goleiro. Muitas vezes nesses jogos Karol jogava com uma comunidade Judaica de WadoWice, muitas vezes até jogando no time Judeu.

             Em meados de 1938 Karol e seu pai se mudaram para Cracóvia onde ele se matriculou na universidade. Além dos estudou, ele se voluntariou para trabalhar na Biblioteca da Faculdade e, ainda, teve que apresentar ao serviço militar. Karol tinha também uma paixão pelo teatro, no qual atuava e se apresentava muito bem como dramaturgo. Foi nesta época que o seu talento para as línguas floresceu e ele aprendeu 12 línguas diferentes, nove das quais ele usaria extensivamente no futuro como Papa. Em 1939 houve a invasão pela Alemanha Nazista na universidade e obrigaram o seu fechamento, no início da segunda guerra mundial. Karol nesse tempo foi obrigado a trabalhar, trabalhou dede de mensageiro de um restaurante até operário numa mina de calcário de 1940 até 1944, tudo isso para evitar ser deportado para a Alemanha. Seu Pai veio a falecer de uma parada cardíaca em 1941, deixando Karol como único sobrevivente de seu grupo familiar.

             Após a morte de seu Pai em 1942 ele começou a pensar na ideia de abraçar o sacerdócio. Em outubro de 1942 ele bateu na porta do palácio Arquiepiscopal de Cracóvia pedindo para estudar. Logo depois ele começou a ter aulas clandestinas no Seminário pelo Arcebispo de Cracóvia, Dom Adam Stefan. Em 1944 Karol sofreu um grave acidente, sendo atropelado por um caminhão e ficando ferido nos braços e nos ombros, ficando duas semanas no hospital para se recuperar. Para ele o acidente e a sobrevivência vieram para confirmar a sua vocação.

             Na noite de 17 de janeiro de 1945, os alemães fugiram da cidade e os estudantes puderam retomar o então arruinado Seminário. Karol e outros seminaristas ofereceram-se para limpar pilhas de imundices congeladas que se acumularam nas latrinas. Karol também ajudou uma garota judia de 14 anos chamada Edith Zierer, que tinha fugido de um campo de trabalho alemão em Częstochowa. Edith havia desmaiado na plataforma de trens e Karol a carregou e ficou com ela durante toda a viagem até Cracóvia. Ela afirma que Karol salvou-lhe a vida naquele dia.

             Karol foi ordenado sacerdote no dia 1º de novembro de 1946, dia de todos os Santos, pelo Arcebispo de Cracóvia Dom Adam Stefan, o mesmo que o acolheu no Seminário. Após a sua ordenação ele foi estudar Teologia em Roma, onde ele conseguiu a licenciatura e o doutorado em Teologia com a tese A doutrina da Fé segundo São João da Cruz. Em 1948 ele volta para a Polônia para iniciar os seus trabalhos pastorais.

             Em março de 1949, Karol foi transferido para a Paróquia de São Floriano, em Cracóvia. Ele lecionou Ética na Universidade Jaguelônica e, posteriormente, Universidade Católica de Lublin (hoje rebatizada em sua homenagem). Em 1954 ele obteve o seu segundo doutorado, em Filosofia. A intervenção das autoridades comunistas impediu que ele recebesse o grau até 1957. Em 1960 ele publicou um livro teológico com o tema Amor e responsabilidade, uma defesa dos ensinamentos tradicionais da Igreja sobre o casamento a partir de um ponto de vista filosófico novo.

             A sua ascensão ao Bispado foi bem rápida em 1958, com doze anos de padre foi nomeado por Pio XII, bispo auxiliar de Cracóvia. Com 38 anos de idade ele se tornava o bispo mais jovem da Polônia. Em outubro de 1962 Karol participa do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962 -1965). no qual ele contribuiu com dois dos mais importantes e históricos resultados do Concílio, o “Decreto sobre a Liberdade Religiosa” (em latimDignitatis Humanae) e a “Constituição Pastoral da Igreja no Mundo Moderno” (Gaudium et spes). Em 13 de Janeiro de 1964 foi eleito Arcebispo de Cracóvia por Paulo VI. Em 26 de Junho de 1967 recebeu o título de Cardeal. Um ano antes de ser eleito Papa, Wojtyła abriu e consagrou a Igreja de Nossa Senhora Rainha da Polônia, em Nowa Huta, após mais de vinte anos de esforços contra o governo comunista polonês, que negou inúmeras vezes o pedido dos fiéis para a construção de uma Igreja naquela região.

             Em agosto de 1978, após a morte do Papa Paulo VI, o Cardeal Wojtyla votou no conclave Papal que elegeu Papa João Paulo I. João Paulo I morreu após somente 33 dias como Papa, precipitando assim um outro conclave. Houve um segundo conclave e neste o Woytila foi eleito Papa, ele não era um dos nomes mais cotados para assumir o alto cargo da Igreja, mas foi eleito superando expectativas e sendo o Papa mais jovem já eleito. Ele escolheu o nome de Joao Paulo II em homenagem ao seu antecessor.

             O forte do Pontificado de João Paulo II foi o diálogo inter-religioso, viajou por muitos países, conhecendo diferentes culturas, nações e povos. Pregava acima de tudo o “amor” e a misericórdia de Deus. O Papa da alegria, “o rosto bondoso de Deus”. Perdoou inclusive aquele que tentou tirar a sua vida, fez questão de visitar o homem na cadeia e dar o seu perdão.

             Após esse “atentado” que o Papa sofreu começou a ficar um pouco mais debilitado com o passar dos anos, mas permaneceu no  serviço apostólico, como sucessor de Pedro até não ter mais forças e morrer em 2005. Permanecendo assim pouco mais de 26 de anos à frente da Igreja.

             Para mim ficam permanentemente marcadas as palavras proféticas de São João Paulo II: “Não tenhais medo de abrir os seus corações para o Redentor!”. Foi o Papa que mais viajou pelo mundo anunciando o Evangelho e iniciando as grandes viagens apostólicas internacionais. Agradeço a graça de ter sido por ele escolhido Bispo para a Igreja, como Bispo Auxiliar de Juiz de Fora em 1987. Depois ele mesmo me nomeou Bispo Coadjutor de Luz em 30 de agosto de 1991. E, em 28 de novembro de 2001 São João Paulo II me nomeou Arcebispo de Juiz de Fora. Sou-lhe muito agradecido pela sua confiança na fraqueza de meu ministério e agradeço a Deus pelo seu ministério petrino, que foi preciosíssimo!

    Que possamos aprender os ensinamentos deste grande Papa e hoje Santo João Paulo II, aprendamos a amar os nossos semelhantes, perdoa-los e a dialogar com todos, aprendendo sempre a ouvir o diferente. Ele é o Santo do nosso tempo, contemporâneo, do século XXI, os seus ensinamentos permanecem atuais para todos nós. Que ele nos ajude a cada dia a buscarmos a santidade nas nossas ações e amar os nossos semelhantes. Neste dia 18 de maio nos lembremos deste grande Papa e rezemos pedindo a intercessão dele para nós e nossas famílias.

    Viva São João Paulo II !!!! Amém!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    três + catorze =