fbpx
25.8 C
São Paulo
domingo, 15 dezembro, 2019.
Início Destaque Hospital católico no Iraque leva a esperança

Hospital católico no Iraque leva a esperança

A abertura do novo hospital católico no Iraque traz grande alegria para os cristãos do país. O Arcebispo Caldeu, Bashar Warda, de Erbil, no Curdistão, Iraque, tem sido o principal propulsor do estabelecimento do hospital Maryamana, dedicado à Virgem Maria. Já em 2016, a Universidade Católica de Erbil também abriu as portas graças ao esforço do Arcebispo.

Por mais de três anos, a Arquidiocese de Erbil recebeu mais de 120 mil cristãos que fugiram da investida do grupo terrorista autointitulado Estado Islâmico (EI), em 2014, na Planícies de Nínive, no norte do Iraque. Enquanto cerca de 40 mil fiéis retornaram às suas casas, milhares fizeram do Curdistão seu lar permanente. A universidade – a única católica no Iraque – e o novo hospital católico serão um impulso significativo para as comunidades cristãs restabelecidas na Planície de Nínive, bem como para a comunidade cristã local no Curdistão. O Arcebispo falou com a ACN sobre o significado de ambos os projetos.

Qual a importância do novo hospital católico no Iraque?

O objetivo geral do novo hospital católico é levar cuidados de saúde eficazes e acessíveis para uma região devastada pela guerra. Além da guerra, a região ainda é totalmente carente de recursos e equipamentos modernos. Isto é em parte devido a décadas de conflito contínuo, mas também devido à inatividade do governo. É provável que na próxima década haja ainda mais refugiados, deslocados internos e idosos necessitados. Estaremos em condições de apoiar os pacientes mais necessitados e oferecer descontos de até 60%.

O hospital também deve ser importante, especialmente para os cristãos, na geração de trabalho em uma região com alto desemprego?

A oferta de empregos mostrará aos cristãos que estamos construindo um futuro para eles em Erbil. Cristãos e outras minorias são frequentemente impedidos de trabalhar. Da mesma forma, são negligenciados com relação a promoções devido a um sistema político preconceituoso. Há poucos políticos dispostos a defender os direitos dos cristãos. Isso tem uma correlação direta com as pessoas que deixam o país. Junto com a universidade, Maryamana é um projeto crucial e fundamental que visa manter os cristãos em Erbil e nas planícies de Nínive. Ambas as instituições demonstram que os cristãos são importantes e que são parte integrante da sociedade iraquiana.

O hospital servirá apenas cristãos?

A missão do hospital se alinha com a da Igreja. Qualquer pessoa, independentemente de religião ou etnia, pode receber tratamento no Hospital Maryamana. A prioridade será dada àquelas cujas necessidades médicas sejam mais urgentes. É sabido que os muçulmanos confiam nos profissionais de saúde cristãos. Felizmente, Maryamana também facilitará nossos esforços de reconciliação comunitária, abordando as necessidades de saúde de outras religiões.

Quais serviços médicos o novo hospital católico no Iraque fornecerá?

O hospital terá 70 leitos e sete salas de cirurgia, que deverão estar em constante uso. O hospital poderá atender 300 pacientes ambulatoriais por dia e oferecerá a maioria dos serviços médicos. Além dos cuidados de gestantes e prematuros, haverá clínicas para uma gama completa de especialidades. O hospital terá equipamentos de laboratório atualizados e será capaz de administrar todo o espectro de testes de diagnóstico, como por exemplos, exames de ressonância magnética e tomografia computadorizada. Há dois departamentos de emergência, assim como uma farmácia. Em cerca de três anos, esperamos que o Maryamana possa se tornar um hospital de ensino. O planejamento de um centro de oncologia no hospital também está em andamento.

Qual é a missão da Universidade Católica em Erbil?

A Universidade Católica de Erbil foi fundada para garantir oportunidades educacionais e profissionais aos nossos jovens, para que eles sejam encorajados a permanecer no Iraque e se tornar os futuros líderes da comunidade cristã aqui e em outros lugares do país. Eventualmente, quando nossos jovens estão conseguindo bons empregos em um país de maioria muçulmana, eles encontrarão esperança e se voltarão para a universidade como seu canal para ter sucesso e prosperar em suas carreiras no Curdistão e no Iraque. Esperamos que a universidade inspire as minorias religiosas e prove que têm um futuro viável e brilhante aqui. Estamos tentando estabelecer Erbil como um lar de longo prazo para a comunidade cristã – e as pessoas optam por ficar quando há empregos e quando há uma forte infraestrutura de serviços e instituições. A escola dará à comunidade cristã um grande senso de valor e pertencimento.

Quantos estudantes a universidade tem agora e qual é o seu objetivo?

Atualmente, 108 estudantes estão matriculados, incluindo 10 muçulmanos. Os cursos acadêmicos são concedidos em Contabilidade, Inglês, Relações Internacionais, Tecnologia da Informação e Ciência da Computação. Nossa meta para o ano acadêmico 2022-2023 é ter 825 alunos matriculados – 615 cristãos iraquianos, 125 muçulmanos e 85 yazidis, do Curdistão, Mosul, Planície de Nínive, Duhok, Kirkuk, Bagdá e Basra. Para atrair estudantes, pretendemos construir e estabelecer departamentos adicionais nas principais disciplinas acadêmicas: Economia, Engenharia, Saúde e Ciências Médicas e Educação.

Queremos estabelecer a universidade como um projeto de âncora internacional para manter o cristianismo no Iraque. Estamos construindo relações com os ministérios daqui e trabalhando internacionalmente com muitas universidades para estabelecer a marca da Universidade Católica em Erbil. Cristãos iraquianos e outras minorias são atraídos para a universidade porque o ensino é feito em inglês e por causa de sua localização em Ankawa, o bairro cristão de Erbil, um ambiente que promete segurança e cuidado. O novo hospital católico Maryamana também está localizado em Ankawa.

Quais são suas principais preocupações em relação a essas iniciativas, o hospital e a universidade?

Os principais desafios foram conseguir que ambas as instituições fossem construídas e funcionassem. Com o hospital, a prioridade é reembolsar nossos empréstimos, mas sabemos que o hospital será totalmente utilizado e se tornará lucrativo. A demanda está aí. No Curdistão, existem mais de um milhão de refugiados e centenas de milhares de idosos; clínicas em Erbil e Duhok atendem mais de mil pacientes por mês. Até dois mil pacientes com doenças crônicas contam com a nossa clínica local, St. Joseph’s, para medicamentos muito caros.

A universidade, ainda jovem, requer mais financiamento, uma vez que a maioria de nossos estudantes – muitos deles de Qaraqosh, na Planície de Nínive – estão participando de bolsas de estudos integrais. Precisamos expandir academicamente, já que o número de departamentos se correlaciona com o número de candidatos. É difícil recrutar nativos da língua inglesa como professores, pois os consulados dizem que o Curdistão não é seguro. Só podemos atrair pessoas através do boca a boca e depoimentos de visitantes, mas acredito que seremos bem sucedidos. Atualmente, 14 dos nossos jovens locais ganham mestrado nos EUA, no Reino Unido, na Itália e na Austrália. Ao voltar para casa, eles terão papéis importantes na universidade e no hospital. Agradeço a todos os benfeitores com todo meu coração e orações. Eles estão fazendo um trabalho magnífico para todos nós aqui. Deus abençoe todos eles.

Participação da ACN

Nos últimos dois anos, a ACN apoiou a Universidade Católica de Erbil e o Hospital Maryamana, com financiamento para bolsas de estudo e para a compra de equipamentos médicos de última geração. De 2014 a 2017, a ACN ajudou com projetos em apoio à Arquidiocese Caldéia de Erbil, pois forneceu alimentos, assistência médica, moradia e educação para os deslocados que haviam fugido da Planície de Nínive, depois que o grupo Estado Islâmico invadiu a região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − onze =