Quarta-feira de cinzas: convite à conversão

    “As cinzas revelam nossa fragilidade humana, nossa necessidade da misericórdia de Deus e a nossa conversão. O convite de hoje – “Convertei-vos e crede no Evangelho” – quer que direcionemos nossa vida aos ensinamentos de Cristo e, assim, caminhemos com Ele”, destacou o arcebispo de Passo Fundo, dom Rodolfo Luís Weber, durante a celebração da Quarta-feira de Cinzas, na Catedral Nossa Senhora Aparecida, na noite desta quarta-feira, 14.

    Presidida por dom Rodolfo e acompanhada pelos padres Ari Reis, pároco da Catedral, Daniel Feltes, reitor do Santuário Nossa Senhora Aparecida, Éberson Fontana, responsável pelo Serviço de Animação Vocacional, e, também, pelo padre Ivanir Rodighero, reitor do Seminário Arquidiocesano, a celebração de imposição das cinzas envolveu os fiéis em uma liturgia voltada para a conversão – motivação da Quaresma, tempo que se inicia nesta quarta-feira – e, ainda, para a reflexão da Campanha da Fraternidade. Com o tema “Fraternidade e superação da violência”, a CF 2018 tem o objetivo de, através da reflexão, construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz e, além de mapear a violência, busca, especialmente, colocar em evidência as iniciativas que existem para superar os atos violentos e ainda, despertar novas propostas com esse objetivo.

    Sinal de conversão

    Em sua homilia, dom Rodolfo reforçou o sentido da Quaresma, a importância da data de hoje na Igreja e o significado da imposição das cinzas. “O convite de crer no Evangelho é se engajar na proposta de Cristo que nos mostra qual o foco correto. Cristo é o referencial máximo e absoluto”, enfatizou. “É importante fazermos a nossa revisão de vida e pensarmos como vivemos e qual o nosso jeito de resolver nossos problemas e como é a nossa presença junto às pessoas. É um tempo especial que vai nos fazer bem, bem à comunidade e a toda sociedade”, concluiu.

     

    Papa Francisco: Quaresma é tempo de reflexão

    Durante a celebração presidida pelo papa Francisco, na Basílica de Santa Sabina, em Roma, o pontífice destacou que a Quaresma é momento de reflexão e conversão. “O tempo de Quaresma é propício para corrigir os acordes dissonantes da nossa vida cristã e acolher a notícia sempre nova, feliz e esperançosa da Páscoa do Senhor”, colocou e acrescentou, ainda, que é momento de se voltar para Deus. “Quaresma é tempo precioso para desmascarar as tentações e deixar que o nosso coração volte a bater segundo as palpitações do coração de Jesus. Toda esta liturgia está impregnada por este sentir, podendo-se afirmar que o mesmo ecoa em três palavras que nos são oferecidas para ‘aquecer o coração fiel’: para, olha e regressa”, complementou.

     

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    dezoito + 19 =