Dom Helder forte, 22 de Morte

    Dom Helder há vinte e dois anos de morte

    Sua missão maior foi a compaixão luminosa

    Foi um pequeno grande de ascensão gloriosa

    Nele a paz tenaz se fez uma estrela-norte.

    Eis o timoneiro, o cavaleiro andante

    Artesão divino, sim, vigoroso e muito forte

    Seu brilho e sua ação, dimensão de porte

    Mais que um guerreiro, um artífice influente.

    Seu heroísmo, sem dúvida, como proposta

    A luz no abismo do egoísmo, isso lhe importa

    Tolerância demais pertinaz no autoritarismo.

    Dele o espírito harmonioso, o mais completo

    Exímio poeta, aventureiro do bem, ele gosta

    Outro Dom Quixote, seu sonho e passaporte!

    *Pároco de Santo Afonso, blogueiro, jornalista, escritor e

    integrante da academia Metropolitana de Letras de

    Fortaleza (AMLEF).

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    três + oito =