O sínodo e a Catequese

Francisco Catão

Importantes pastorais da Igreja, o Anúncio do Evangelho e o serviço da Palavra, visam à transmissão da fé por meio da iniciação cristã ou Catequese.

A fé, como diz o Catecismo (nº 150), tem dois aspectos inseparáveis: a “adesão a Deus e o acolhimento da Palavra revelada”. Ela é, inseparavelmente, iniciação a essa dupla experiência: (1) crer em Deus, o que é indispensável à plena realização de todo ser humano, pessoalmente e em sociedade, e (2) seguir o caminho de Jesus, o que nos torna cristãos, quando ratificada pelo Batismo e sacramentos de iniciação, constituindo-nos membros plenos e efetivos da Igreja.

Vivemos, em São Paulo, um tempo de graça. A Igreja nos convoca para o primeiro sínodo arquidiocesano, “caminho de comunhão, conversão e renovação missionária”, com o objetivo de “refletir sobre sua presença e missão nesta grande Metrópole.” Uma das áreas prioritárias é, naturalmente, a Catequese. Precisamos encontrar juntos os melhores caminhos para oferecer a todos o gosto de Deus e a alegria da fé em Jesus Cristo, nosso Salvador.

A adesão a Deus é despertada pelo testemunho, sobretudo da vida. Sob esse aspecto, a qualidade cristã de nossa vida pessoal manifestada em todos os nossos relacionamentos, desde a família, passando pelo ambiente de trabalho, até nossos comprometimentos sociais e políticos, é a exigência missionária fundamental.

O acolhimento de Jesus, Palavra de Deus encarnada, é fruto da docilidade com que abrimos o nosso coração à voz de Deus, que se faz ouvir no íntimo de todos nós, por intermédio do Espírito, que habita em plenitude no íntimo de Jesus, desde a Encarnação e é, depois da Ressurreição, em Pentecostes, oferecido a todos os homens e mulheres, como nos testemunham as Escrituras Sagradas

O primeiro sínodo da Igreja em São Paulo foi certamente despertado pela renovação da Igreja, postulada pelo Concílio Vaticano II (1962-1965). Inspira-se nas constituições que definem a natureza da Igreja (Lumen Gentium) e sua posição no mundo de hoje (Gaudium et Spes).

Essas orientações estão sendo efetivamente colocadas em prática no pontificado de Francisco. A Catequese, missão da Igreja de iniciar na fé, precisa hoje também levar em consideração a importante Constituição Apostólica Veritatis Gaudium(2017) sobre o estudo da Teologia, da qual a Catequese é parte integrante, pois a iniciação cristã está radicalmente vinculada à forma de entender a fé e de proclamá-la, numa determinada cultura.

O objetivo da Veritatis Gaudium, reformulando a Teologia nos dias de hoje, é voltar às origens da Igreja e sublinhar que o pensamento cristão deve nascer não de uma ideia ou posição filosófica, tradicional ou atual, mas da experiência cristã, vivida e manifestada pelos apóstolos e seus fiéis sucessores e seguidores, como o testemunham os escritos do Novo Testamento.

A Catequese deve, pois, tornar-se, antes de tudo, uma iniciação à experiência cristã, alimentada pela comunhão com o Espírito de Jesus, haurida na Palavra de Deus, nas celebrações da comunidade cristã e na vivência do amor fraterno.

O sínodo é a ocasião privilegiada, que nos é providencialmente oferecida, de colocar em prática o Concílio Vaticano II e de renovar a Catequese em todos os recantos de nossa querida Arquidiocese.

 

 

Fonte: jornal O SÃO PAULO. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 − cinco =