Igreja: É vital uma pastoral que ajude as famílias com as suas «barreiras»

Lisboa, 18 set 2015 (Ecclesia) – O diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais (SNCS) da Igreja Católica em Portugal considera vital uma pastoral que ajude as famílias a defrontar as “barreiras” com que hoje se debatem.

Em entrevista à edição mais recente do Semanário ECCLESIA, dedicada às jornadas de comunicação social que vão ter lugar em Fátima nos dias 24 e 25 de setembro, o padre João Aguiar realça que em primeiro lugar “a Igreja tem de dizer que a pessoa é o centro, é o centro de tudo”.

Num contexto atual em que a instituição Família é marcada por diversos desafios, falta chamar esta temática para a comunicação de uma forma positiva, contrariando a tendência de limitar a questão a “momentos mais difíceis ou dramáticos”.

“Sem esconder que há violência, que há desamor ou desestruturação familiar”, é preciso destacar também “todos aqueles que vivem nas mais diversas circunstâncias um afeto visível, palpável, alegre, mesmo quando sacrificado”, frisa o sacerdote.

O tema das jornadas deste ano é “Comunicação e Família: Partilha de afetos” e teve origem na mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações Sociais.

Um documento que, segundo o padre João Aguiar, “é tão rico que se não houver a preocupação de o aprofundar, de o estudar, corre o risco” de passar despercebido.

No seu texto, o Papa argentino destaca o papel das famílias na “descoberta e construção de proximidade”, que passa pela capacidade de, em conjunto, abraçar, apoiar, acompanhar, rir e chorar “decifrar olhares e silêncios”.

A mensagem desafia ainda as famílias cristãs a não ficarem fechadas no seu próprio mundo, nas suas casas, mas a “sair, a ir ter com o outro”.

“Nós queremos efetivamente que este desafio do Papa se concretize e partilhe nos afetos, na família, que a família viva na comunicação e em comunicação”, sublinha o diretor do SNCS.

Promovidas pela Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais e organizadas pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, as jornadas vão decorrer em Fátima, na Casa Domus Carmeli. 

Todos os anos, a iniciativa convida à reflexão responsáveis diocesanos pelo setor dos media, jornalistas e outros profissionais dos meios de comunicação social regionais e nacionais.

O padre João Aguiar destaca também o evento como “um momento de alegre convívio entre profissionais”, não apenas da comunicação social dita crente ou católica.

“Fazer pontes, servir o diálogo, a cultura, a paz, a abertura do coração ao outro não é simplesmente uma questão de acreditar ou não. É uma questão de humanidade, e sendo o homem um caminho da Igreja, nós não poderíamos deixar de estar presentes neste caminho”, refere o diretor do SNCS.

No programa das jornadas, sobressai no dia 24 uma intervenção de D. Pio Alves, a que se seguirão dois painéis sobre os temas ‘Família na comunicação’ e ‘Família em comunicação’.

A agenda de dia 25 começará com uma conferência do cardeal-patriarca de Lisboa e líder do episcopado português, D. Manuel Clemente, subordinada ao tema ‘Comunicação e família’, que será seguida por um tempo de debate.

Duarte Roquette, Tito de Morais, Rita Carvalho, Eugénia e Fernando Magalhães, José Gameiro Marília Monteiro Neto e Vitor Neto são outros intervenientes convidados para as jornadas deste ano, cujas inscrições ainda continuam abertas em www.ecclesia.pt/jornadas2015.

Fonte: Agência Ecclesia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 + oito =