24 C
São Paulo
quarta-feira, 19 dezembro, 2018.
Início Cotidiano Hospital Mzeina: parceria com a Igreja tem salvo vidas na Síria

Hospital Mzeina: parceria com a Igreja tem salvo vidas na Síria

O Hospital Mzeina está situado na pequena cidade do mesmo nome. Mzeina é uma das várias cidades que compõem o Vale dos Cristãos (Wadi Al-Nasara em árabe). Além disso, está localizada em uma região rural da Síria; perto da fronteira com o Líbano e entre a cidade de Homs e da costa do Mediterrâneo. “O hospital está aberto há quatro anos e, nos últimos dois anos, o número de internações, operações e tratamentos básicos vem crescendo constantemente”, assegura o diretor do hospital, Dr. Sam Abboud.

Atendimento para os que sofrem com a guerra

A guerra que continua a dilacerar este país parece distante desta região, mas os médicos do hospital asseguram que a situação ainda é tão ruim quanto, ou pior do que antes. “As pessoas vêm até nós pedindo ajuda e nos dizem que em outros hospitais eles não conseguiam receber tratamento porque não tinham dinheiro suficiente. Entretanto, nós não lhes dizemos simplesmente para irem embora; nós tentamos ajudá-las de todas as maneiras possíveis”, diz Toni Tannous, chefe da equipe de fisioterapia.

Os próprios médicos e os outros funcionários do hospital já tiveram experiências pessoais em consequência da guerra. “Eu mesmo tive que fugir de Homs por causa da guerra”, continua Toni, “e agora estou trabalhando aqui. Assim, todos nós sentimos ter responsabilidade de, uma forma ou de outra, ajudar da melhor maneira que pudermos”. Ali são tratadas milhares de pessoas todos os meses e há quase 500 pacientes internados. O Hospital Mzeina trabalha em colaboração com o Saint Peter’s Aid Center (Centro de Ajuda de São Pedro) administrado pela Igreja Católica Melquita na cidade vizinha de Marmarita.

Uma parceria

“Do centro de saúde administrado pela Igreja Melquita em Marmarita, atendemos a mais de cem casos médicos urgentes por mês; também pagamos medicamentos em outros casos. Além disso, levamos as famílias para o hospital e temos um acordo de trabalho com o Hospital Mzeina para tratá-los lá”, explica Elías Jahloum, voluntário e coordenador do Saint Peter’s Center. “No Vale dos Cristãos não há hospitais públicos; desse modo, os mais próximos estão em Homs ou Tartus, a uma hora ou mais de carro, em razão dos controles de segurança do Exército. É por isso que o serviço de saúde oferecido pela Igreja nesta região é muito importante para os refugiados da guerra; já que têm poucos recursos financeiros”.

Os pacientes agradecem

Elías acompanhou uma delegação da ACN, que visitou alguns dos pacientes internados no Hospital Mzeina. O tratamento deles é pago pelo Saint Peter’s Center com o apoio financeiro da ACN. “Obrigado por vir nos ver, Elías, e obrigado também aos seus benfeitores”, disse Najwa Arabi, uma mãe que acabara de passar por uma cirurgia no estômago.

“Sabemos que existem pessoas em muitos países ao redor do mundo que nos ajudam. Todos os dias rezamos por eles e damos graças a Deus por esta ajuda”, disse Najwa.

Na próxima ala está Maryam Hourani, a mãe de Janadios, um garotinho com pouco mais de um ano de idade que está se recuperando de bronquite. “Ele estava muito doente, de modo que mal conseguia respirar quando o levamos para o hospital”, explica ela. “Entramos em contato com Elías e ele garantiu que o Saint Peter’s Center pagaria suas despesas. Só posso dizer muito obrigado”. Não só Maryam, mas também a jovem Shasha Khoury está agradecida; ela se recupera de uma cirurgia devido a um tumor nos seios. “Estou grávida de cinco meses”, diz ela. “É um menino e ele vai se chamar Fayez, porque significa ‘vencedor’”, ela sorri.

A escassez de recursos

O Dr. Abboud, que é especialista em ouvido, nariz e garganta, nos conta que algumas das operações que eles realizam são gratuitas. Além disso, ele explicou que há um programa especial para crianças e jovens com problemas de audição; “muitos desses casos são causados ​​pelas bombas e por outras explosões durante a guerra”, afirmou ele. O médico acrescentou dizendo que as maiores dificuldades que enfrentam são: a falta de infraestrutura; a necessidade de obter novos equipamentos médicos a fim de poderem trabalhar melhor; e os constantes cortes de energia; “apesar de neste último ano termos conseguido obter medicamentos que até recentemente era impossível de se encontrar na Síria”, ele admite.

Ajuda que tem feito a diferença

Ao sairmos do hospital, Elías e Toni se despedem com um grande abraço; os dois homens parecem ser irmãos. “Sempre que um caso difícil surge no hospital, com um paciente que tem muito pouco dinheiro, tentamos ajudar dando um desconto e estendendo o período de pagamento. Assim, quando esses casos acontecem, chamamos o Centro de Ajuda São Pedro. Sabemos, portanto, que Elías ou o Padre Walid, o pároco da Igreja de São Pedro, sempre responderão aos nossos pedidos”, nos diz Toni. A presença da Igreja e do seu trabalho em favor dos deslocados e refugiados pela guerra e pelos pobres locais está, de fato, salvando muitas vidas.

A ACN fornece apoio financeiro ao Centro de Ajuda São Pedro em Marmarita mensalmente. Assim, uma grande parte da quantia cobre os medicamentos essenciais e os cuidados médicos de mais de 4.000 pessoas. “Continuamos precisando da sua ajuda. Vocês são de fato a esperança de todas essas pessoas e um exemplo maravilhoso para a nossa sociedade”, diz o Dr. Abboud, ao nos despedir.

 

Fonte: ACN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × dois =